Seja bem vindo

"Bem aventurados os irrepreensíveis no seu caminho, que andam na Lei do Senhor. Bem aventurados os que guardam suas prescrições e o buscam de todo o coração; não praticam iniquidade e andam nos seus caminhos. Tu ordenaste os teus mandamentos, para que os cumpramos à risca. Tomara sejam firmes os meus passos, para que eu observe os teus preceitos." Salmos 119:1-5



quarta-feira, 17 de agosto de 2011

A bíblia é contra bebidas alcoólicas?


Esta pode ser uma resposta muito perigosa, pois dependendo do que eu responderia em uma só frase geraria confrontos de passagens bíblicas, por isto, acho melhor fazermos um estudo dirimindo possíveis confrontos até chegarmos uma conclusão plausível. Vamos lá então!
Na bíblia percebemos que o que mais tem haver com bebidas alcoólicas, ou seja, que se relaciona com o tema é o vinho e em poucos casos se faz menção à bebidas fortes. Vale ainda dizer que nesta cultura não era conhecido ou pelo menos não se utilizavam de cerveja, wisky, vodka, cachaça e outros que são mais utilizados atualmente.
Porém mesmo sem ter a menção dos mesmos, todos estão inseridos no contexto de embriaguez, vícios, escândalos, sedução, perdição, falta de entendimento. Assim, quando for utilizado certos textos bíblicos com relação ao tema, temos que fazer uma ligação com tudo que possui teor alcoólico com o mesmo intento da passagem.
O vinho (de forma alegórica) é em muitas passagens na bíblia, relacionado com bênçãos (Provérbios 3:10), unção (Lucas 5:37-39), alegria de forma positiva; mas é também retratado negativamente como a bebida forte (tipo cerveja, cachaça) ao tirar o entendimento das pessoas e seduzi-las para o engano, um vício perigoso.
Veja algumas passagens bíblicas sobre o tema: Provérbios 20:1 diz: “ O vinho é escarnecedor, e a bebida forte alvoroçadora, e todo aquele que neles errar nunca será sábio”; Habacuque 2:5 “Tanto mais que, por ser dado ao vinho, é desleal...; Provérbios 23:30 e 35 “Para os que se demoram perto do vinho, para os que andam buscando bebida misturada... e dirás: Espancaram-me e não me doeu; bateram-me e não senti; quando virei a despertar? Ainda tornarei a buscá-la outra vez”.
Notamos também que até o apóstolo Paulo falou sobre isto em Efésios 5:18 que diz: “E não vos embriagueis com vinho, em que há contenda, mas enchei-vos do Espírito”. Em 1 Timóteo 3:3 ele faz uma advertência ao pastores onde os mesmos não podem ser dados ao vinho, ou seja, dominados pelo álcool. Como também em Tito 2:3, ele chama atenção para aqueles que devem dar exemplos para os mais novos, onde não podem servir de espelho quem se embriaga com vinho.
Bem, até aqui creio que deu para levantar certos argumentos contrários à bebida alcoólica, mas também creio eu que, o mesmo serviu para suscitar perguntas referentes a determinados trechos da palavra de Deus com relação a palavras de Paulo e até mesmo Jesus.
É necessário antes de citar trechos da palavra, fazer um paralelo a respeito da bebida alcoólica! O que mais a bíblia condena não é necessariamente a bebida, mas sim seus efeitos quando este passa a servir de domínio sobre a vida de alguém, sedução, engano e até mesmo para causar confusões.
Diante disto vamos começar com o que Paulo diz em 1 Timóteo 5:23 que diz: “Não bebas mais água só, mas usa de um pouco de vinho, por causa do teu estomago e das tuas freqüentes enfermidades”. Ora, o que vemos aqui é o vinho sendo utilizado como um remédio (creio que para fazer o efeito de uma ranitidina). Vale lembrar que a medicina nesta época era bem precária, sendo utilizado o vinho para aliviar determinados males, PORÉM devemos notar que Paulo fala “um pouco de vinho” e não faz menção alguma para o mesmo ser adepto do alcoolismo, se viciar ou mesmo utilizá-lo com freqüência.
Vamos agora para a polêmica, o vinho que Jesus usou/transformou (usou na ceia/ milagre a transformação de água em vinho) era alcoólico ou não? Responderei-lhe categoricamente, NÃO SEI!
Vi muitos pastores elaborando estudos onde alguns falam que era alcoólico e em outros que não era alcoólico, tanto um como o outro foram estudos bem elaborados, mas nenhum deu uma certeza exata, para dizer a verdade, o mais convincente é que era alcoólico.
Mas o que quero mais lhe chamar a atenção para o texto de João 2:1-11, não é para alguém se tornar um bebedor de vinho ou bebida alcoólica, mas para o sentido dado neste milagre de Jesus, assim como foi em um casamento este milagre, a alegria não pode parar no matrimônio, bem como nosso relacionamento com Deus tem que ser algo alegre.
Não vimos também ninguém embriagado nesta passagem, bem como também ninguém estava bêbado na Santa Ceia!
Nem a bíblia, Jesus ou eu, estamos dando respaldo para alguém se tornar um bebedor de bebidas alcoólicas, pelo contrário, desde o início deste estudo estou mostrando os perigos da bebida forte. Se tens que se embriagar com algo, então que seja com o Espírito Santo!
Outro ponto contrário a bebida alcoólica é com relação ao testemunho de vida (para mim, este é o que é mais importante para sermos contra a bebida alcoólica na vida do crente em Jesus). É sabido que a palavra de Deus condena os escândalos, então se alguém pode escandalizar-se com você bebendo, não beba (1 Coríntios 12-13).
A palavra de Deus condena também quem se assenta na roda dos escarnecedores (Salmos 1:1), sabemos que as bebidas alcoólicas trazem o escárnio, ou seja, nos fazem escarnecer, por isto devemos não nos deixar levar por elas.
Para finalizar, NUNCA ACHE QUE UM POUQUINHO VOCÊ CONSEGUE CONTROLAR. Existem pessoas (crentes) que usam desculpas porque viu na TV, que o vinho ou cerveja faz bem para a saúde, por isto bebe um “tacinha” todo dia. Lhe digo que esta “tacinha” poderá arruinar sua vida, família e ministério. É pouquinho que nos faz viciar, quando damos conta, não conseguimos mais viver sem! Saiba que a bíblia condena as bebedices e vícios alcoólicos. Não fique achando que você não vai se viciar ou ficar dependente delas.
Se tens inventado ou ficas caçando desculpas para beber, saibas que seu coração então está entregue a paixões infames, as vaidades de sua alma, isto é, o seu coração está cheio de maldade ao procurar o mal e ainda tenta se justificar por isto (Lucas 6:45).
Conclusão disto tudo, a bebida alcoólica não é pecado em si, porém o seu domínio e o mau testemunho na vida de alguém trazem o pecado, a ruína e o mal. Não é pecado em si porque têm determinados medicamentos e fortificantes que possuem teor alcoólico, bem como determinados pratos (molho madeira, por exemplo).
Assim, que sejamos então adeptos do ditado “é melhor prevenir do que remediar”, ou seja, não comece a utilizar algo que pode ser um veneno para sua alma e uma destruição para sua fé!
As pessoas quando buscam tais bebidas, estão na verdade buscando alguma coisa para estar preenchendo o vazio de sua alma atormentada, fraca, debilitada, triste e sem sentido verdadeiro.
Pra terminar deixo estes dois textos de Romanos 14:13 b que diz: “antes, seja o vosso propósito não colocar tropeço ou escândalo ao seu irmão” e Romanos 14:23 que diz “Mas aquele que tem dúvidas, se come (analogicamente se bebe também), está condenado, porque não o faz por fé e tudo que não é de fé é pecado”.
Então não escandalize ou enfraqueça a fé do irmão que esta se convertendo agora (imagine se ele era alguém que tinha fraqueza nesta área), bem como o que já é velho de crença;
E se tens vergonha de falar que bebe, se precisas esconder tais atos (pois sabes que isto trará escândalo), segundo o texto, então estais pecando, pois tua consciência te condena e se não o fazes em liberdade de mente, se há condenação é melhor não fazer então!
Que Deus vos abençoe e vos livre do laço do passarinheiro (das armadilhas).


Artigos relacionados:

Temperamentos transformados:
http://templojovemvirtual.blogspot.com/2011/07/seu-temperamento-ja-foi-transformado.html

Piercing e tatuagem, o crente pode ou não?
http://templojovemvirtual.blogspot.com/2011/07/tatuagens-e-piercings-o-crente-pode-ou.html

Masturbação é pecado ou não:
http://templojovemvirtual.blogspot.com/2011/07/masturbacao-por-que-e-pecado-sim-ou-nao.html

Maldição hereditária, o que a bíblia fala?
http://templojovemvirtual.blogspot.com/2011/07/maldicao-hereditaria-existe-ou-nao-o.html

Confira ao final do blog os artigos mais acessados.

20 comentários:

  1. Não é mesmo muita coincidência que os sinais miraculosos de Jesus Cristo tenham se iniciado justamente pela provisão de vinho nas bodas de Caná?
    Não eram justamente essas virtudes de deuses do paganismo, como por exemplo Dionísio e Baco, deuses da orgia, dos bacanais, do vinho e da bebedeira (deuses gregos e romanos)?
    Não seria este episódio uma clara referência às raízes pagãs do cristianismo?

    ResponderExcluir
  2. Olá Èdis,

    Olha só como você distorceu completamente o sentido da coisa!

    Então muitos homens da bíblia, inclusive Abraão, tinha alguma coisa haver com o paganismo? Pois muitos toram vinho ou o suco da uva.

    Meu caro, há uma palavra na bíblia que diz mais ou menos assim (não quis reproduzir o texto, apenas peguei como mensagem), "para os puros, tudo é puro, mas para os impuros tudo está errado, pois não entendem as coisas de Deus".

    Esta passagem das bodas de Caná, vejo muito mais Jesus seguindo algo que foi muito importante em sua mensagem, a restauração de um casamento (como foi no início) - também de um simbolo com Deus, uma Nova Aliança.

    O vinho na bíblia simboliza sangue, mas também alegria - neste caso percebemos que em um casamento, jamais pode faltar a alegria, e quando Deus está presente nele, o milagre da alegria sempre acontecerá neste matrimonio.

    Não tem nada haver com paganismo, pelo contrário, Jesus queria restaurar o verdadeiro sentido do casamento - nele foi destruída a poligamia e restaurou-se a monogamia.

    Não sei se você sabe, mas o paganismo foi muito adepto da poligamia, se for seguir seu pensamento, o AT então aprovava o paganismo!

    Sinceramente Édis, repito, pare de ficar com idéias conspiratórias.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  3. O hábito de beber vinho, dentro da Bíblia, nada tem haver com paganismo; mas sim era uma questão cultural ou de tradição. O vinho para alguns dos personagens bíblicos tinham o mesmo valor (ou representava) que o café tem para muitos de nós brasileiros, ou o chá para os ingleses... e assim por diante. O solo era favorável ao cultivo de vinhas, e bom lembrarmos desse detalhe.
    A Bíblia (Gênesis 9:20-26) diz que Noé plantou uma vinha e provavelmente pelo incidente, relatado na mesma passagem, provavelmente às vezes ele bebia até ficar pra lá de alegre. O que resultou com que Noé expusesse a sua nudez em público e consequentemente a maldição proferida sobre um dos seus filhos (Canaã). Certamente Abraão bebia vinho, José, Davi, Salomão e outros personagens bíblicos (era uma questão de cultura ou tradição). E outro detalhe do qual não podemos nos esquecer: o vinho que eles tomavam era embriagante mesmo, o seu alcóol era natural da fermentação desse "suco de uvas", não era apenas um suco de uvas.
    A passagem bíblica, da qual você se privou de sua citação, se encontra registrada em epístola de Paulo à Tito 1:15.

    Quanto a POLIGAMIA, este foi um hábito presente na vida de muitos personagens da Bíblia. Houve até mesmo necessidade de regulamentação (sendo necessário a criação de leis ou regras), uma vez que isto era um hábito recorrente entre as pessoas daquela época. Êxodo 21:10; Levítico 18:18; Deuteronômio 21:15-17; Gênesis 30:1-9
    Como podemos ver a poligamia não era prática restrita aos pagãos, foi praticada por alguns personagens bíblicos, como por exemplo, Jacó, Davi, Salomão, sem nos esquecermos de que Abrão (de acordo com o relato bíblico) foi bígamo!

    Eu só não entendo o que ou por qual motivo o Messias do Novo Testamento (Jesus Cristo), foi se meter na questão de se tornar PADROEIRO do vinho. Seria por inveja? Ou foi mesmo falta de criatividade (inspiração) dos escritores do Novo Testamento, que resolveram plagiar os deuses do paganismo?

    Pelo estudo da mitologia pagã, podemos ver que era comum haver um deus que correspondia a cada atividade específica, sendo responsável por ela. No caso do vinho não era diferente, já havia deuses incumbidos disso (Dionysos e Baco), eles eram muito anteriores ao Cristo e ao cristianismo; o que torna impossível acusá-los de plágio (ou acusar estas culturas de plágio).

    ResponderExcluir
  4. Samuel Elias, pra bem dizer a verdade, considerando a nossa natureza falha ou as fraquezas da nossa carne, este mandamento (BEBER VINHO) é um dos poucos entre muitos que se é possível cumprir com perfeição ou facilidade.

    "Não continues a beber somente água; USA UM POUCO DE VINHO,..." I Timóteo 5:23

    "O vinho que alegra o coração do homem,..." Salmos 104:15

    "VAI, POIS, come com alegria o teu pão E BEBE GOSTOSAMENTE O TEU VINHO, pois Deus já de antemão se agrada das tuas obras." Eclesiastes 9:7

    Não vá me dizer que há simbolismo aqui, quanto à palavra VINHO.

    Uma pena que o cumprimento deste MANDAMENTO saia um pouco caro em termos financeiros e econômicos. E certamente outros, talvez, teria, a reclamar: por que razão não extender este mandamento à cachaça, cerveja, ou outras bebidas cuja finalidade são atingir o mesmo efeito (A ALEGRIA?!!!)?

    ResponderExcluir
  5. Caro Édis,

    Creio que você lê e não entende o que lê. Por isto, vou colocar de novo o que escrevi respondendo sua primeira postagem:

    Olha só como você distorceu completamente o sentido da coisa!

    Então muitos homens da bíblia, inclusive Abraão, tinha alguma coisa haver com o paganismo? Pois muitos toram vinho ou o suco da uva.

    Meu caro, há uma palavra na bíblia que diz mais ou menos assim (não quis reproduzir o texto, apenas peguei como mensagem), "para os puros, tudo é puro, mas para os impuros tudo está errado, pois não entendem as coisas de Deus".

    Esta passagem das bodas de Caná, vejo muito mais Jesus seguindo algo que foi muito importante em sua mensagem, a restauração de um casamento (como foi no início) - também de um simbolo com Deus, uma Nova Aliança.

    O vinho na bíblia simboliza sangue, mas também alegria - neste caso percebemos que em um casamento, jamais pode faltar a alegria, e quando Deus está presente nele, o milagre da alegria sempre acontecerá neste matrimonio.

    Não tem nada haver com paganismo, pelo contrário, Jesus queria restaurar o verdadeiro sentido do casamento - nele foi destruída a poligamia e restaurou-se a monogamia.

    Não sei se você sabe, mas o paganismo foi muito adepto da poligamia, se for seguir seu pensamento, o AT então aprovava o paganismo!

    Sinceramente Édis, repito, pare de ficar com idéias conspiratórias.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  6. Respondendo seu segundo comentário, deixo o texto de 1 Coríntios 6:12 que diz "todas as coisas me são lícitas, mas nem todas me convém; todas as coisas me são licitas, mas eu não me deixarei dominar por nenhuma".

    Ora édis, sabemos muito bem que o brasileiro é dominado pela bebida. E sabemos que a mesma causa escândalo para muitos, por isto, ao se referir a bebidas é o mesmo que estar coligado com o pecado, não nos aproximamos então.

    De onde você tirou que isto é um mandamento?

    Peço que leia o artigo outra vez e reflita melhor suas posições.

    As bebidas alcoólicas na bíblia sempre causaram em grande parte, problemas para seus tomadores.

    ResponderExcluir
  7. Você perguntou: "De onde você tirou que isto é um mandamento?"

    Nesse caso, dos versículos citados, eu não tirei conclusões, nem deduzi, muito menos interpretei. Se você tiver um pouco de conhecimento da língua Português e fizer uma análise sintática das frases que compõem os versículos perceberá o caráter imperativo dos mesmos.

    "...USA UM POUCO DE VINHO,..." I Timóteo 5:23

    "VAI,...BEBE GOSTOSAMENTE O TEU VINHO." Eclesiastes 9:7

    Samuel, eu acredito que não há ninguém melhor do que você para explicar ou compreender sentido da palavra LÍCITA (I Coríntios 6:12), uma vez que é formado em direito, como dizes. Eu, coitado, LEIO E NÃO ENTENDO O QUE LEIO!
    Então me explica: Se "TODAS AS COISAS me são LÍCITAS"; o juizo condenatório por uma prática, hábito ou escolha não constituiria uma arbitrariedade à revelia da lei ou justiça?
    Onde está a razão para a condenação de pecado (transgressão), Se a LEI máxima (ou CONSTITUIÇÃO) da religião (A BÍBLIA SAGRADA) concede LICITUDE para TODAS AS COISAS?
    Vejo que mudou um pouco o caráter do seu discurso, nesta última postagem, ao dizer que o problema está em ser DOMINADO. Parece que a prática do hábito já não é tão condenável! Estou entendendo mal, ou é isto mesmo?

    ResponderExcluir
  8. Édis,

    Há uma grande diferença em mandamento na bíblia e sugestão!

    Paulo jamais institui isto como um mandamento, muito menos o Pregador de Eclesiastes.

    Tanto que Paulo como o pregador de Eclesiastes em outras passagens "DETONA" quem se faz escravo do vinho e das bebidas. No de Paulo vemos que era usado como um medicamento em pequena quantidade - hoje em dia há remédios para este tipo de dor, bem mais eficaz que o vinho.

    O OUTRO ASSUNTO:

    Sim, sou advogado e sei muito bem o que é a licitude e também sei o que é um ilícito.

    Por exemplo, a Lei (penal) não me proíbe de matar (me é lícito), MAS se eu o fizer cometerei algo que não convém, tornando uma prática tipificada como um ilícito.

    Da mesma sorte é com nossa liberdade em Cristo. A liberdade em Cristo está na justificação dele por nós e não mais como no AT, onde o homem buscava se auto justificar pelas obras da lei.

    Porém isto não quer dizer que agora que sou livre, me deixarei dominar pelos meus desejos pecaminosos. Leia Gênesis 4:5-7.

    Ainda que haja a misericórdia, o pecado deixa consequências, sendo que o fruto do Espírito tem o domínio próprio nele. Em outras palavras eu sei que sou livre, MAS há certas coisas que me trarão prejuízo caso eu sucumba à elas.

    Isto não fere o livre arbítrio. Não é porque se um dia você beber vinho ou algo alcoólico que vais perder a salvação, mas isto pode nos trazer consequências nada boas.

    Finalizando,

    Eu não mudei o discurso, o vinho em si não é pecado, o pecado está quando ele nos domina (vício) e isto a bíblia condena, tanto que qualquer bebida alcoólica fere outra coisa quando se TORNA UM HÁBITO, o nosso corpo, o templo do Espírito Santo - Deus destruirá aquele que destrói seu corpo.

    Você e eu sabemos muito bem os males do álcool.

    Além do mais, aqui no Brasil, se um crente beber será em escândalo, e é bom evitarmos os escândalos.

    Um último exemplo semelhante ao falado aqui sobre a liberdade em Cristo, é como o de você com uma pessoa do sexo oposto.

    Tipo, você é casado, mas no teu serviço você tem oportunidade de ficar sozinho com uma mulher linda e que te dá moral, pois no passado você era "pegador" e ela sempre foi caidinha por ti, você sabe muito bem que podes resistir, PORÉM sabes também que podes também NÃO resistir, melhor então PREVENIR.

    Creio que depois dessa, se você não entendeu o que quis dizer com este post, não há mais o que tentar explicar.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  9. Samuel Elias, convenhamos que no mínimo, isto é muito engraçado, curioso,... ou... outras coisas mais... (pra não dizer R I D Í C U LO). "O LÍCITO só é lícito enquanto você não toma a liberdade de optar por ele."
    O ILÍCITO, porventura, tornar-se-ia em LÍCITO, enquanto alguém não opte por ele?!!!
    Você advoga baseado nesse princípio?
    Concordo plenamente com você, quanto ao vício da bebida alcoólica ser prejudicial. Causa muitos males, inclusive a dependencia química, física e psicológica, além do que a bebida alcólica relaxa o senso de censura, em uma pessoa sob o seu efeito (por mais que seja alguém dono de um caráter e moral elevados). Há exemplos nesse sentido, dentro das Escrituras. A bebida alcólica (independente da origem do seu alcóol) é substância altamente irritante do sistema digestório. É responsável pelos inúmeros acidentes de trânsito (causando tristezas, infelicidades, deficiências e muitos óbitos). Causa confusões e separações nos lares, leva pessoas a medincância, á viver uma vida na sarjeta (com a perda de uma vida produtiva). Definitivamente, não é algo inteligente, a aprovação do hábito da bebida, ainda que seja O VINHO (citado na BÍBLIA)!
    Mas não podemos sair por aí, pregando doutrinas religiosas, dizendo que se trata de doutrinas da Bíblia. Nem sempre o que uma religião prega, por melhor intenção que tenha (ao fazer isso), É DE FATO O QUE A BÍBLIA PREGA OU ENSINA.

    ResponderExcluir
  10. Édis,

    A bíblia não aprova o vício, e as bebidas podem ser uma forma de vício. Isto está claro.

    Com relação a licitude e ilicitude, seu pensamento está completamente equivocado e creio que não entendes o exemplo que dei, mas vamos lá....

    Pegando outra vez o "matar". A lei não me proíbe de matar como eu disse, mas dependendo, se eu o fizer passarei por um crivo de julgamento e que poderá me render consequências terríveis.

    Porém dependendo, existe o que chamamos de "excludentes de ilicitude", como por exemplo a legítima defesa, você matou, porém houve um exclusão do que seria ilícito.

    No caso de Timóteo, a excludente foi sua enfermidade. Pois o próprio Paulo diz que o obreiro não pode ser dado ao vinho, mas no caso dele, a bebida teria outra finalidade.

    Raciocine, o que contamina o homem não é o que entra, mas o que saí, do coração.

    Se fazemos algo que não é para Deus ou que nos distancia de Deus, isto pode ser um lícito que se tornará um ilícito.

    Espero que tenha entendido.

    ResponderExcluir
  11. Em resumo, é isso aí:

    A aplicação da lei ou de códigos (da justiça humana) realmente é assim, se limita, restringe, ou se baseia na interpretação dos mesmos. É por isso que há muitos que se especializam em burlá-los. Está ai a prova cabal de que a justiça humana é falha e corrupta. É a velha história de sempre! A justiça divina porém funciona ao contrário da justiça humana, que é falha e corrupta e se vendendo aos interesses daquele que paga mais.

    A palavra "PROIBIR" vem do latim "PROHIBERE"=afastar, impedir, manter longe. (Origem da Palavra - Site Etimologia)

    Senhordaspalavra.com.br/significado/proibir: (lat. prohibere) vtd e vti 1- não permitir que se faça, não dar licença, ORDENAR QUE NÃO SE REALIZE - vtd e vti 2- tornar defeso; vedar; vtd e vti 3- interdizer; vtd e vti 4- TORNAR impossível ou MUITO INCONVENIENTE; vtd e vti 5- PRESCREVER A ABSTENÇÃO.

    Como se pode perceber, você se ateve apenas ao sentido "IMPEDIR" (por força ou com o uso de força) da palavra "PROIBIR", de fato, nesse caso, Deus não impede, não ata as mão ou segura (LITERALMENTE) aquele que intenciona cometer um assassinato, homicídio...

    Às vezes eu até penso que a Palavra de Deus (deixa de ser LEI) tem menos poder para nós por causa dessa questão de estarmos sempre interpretando-a. Ela torna se fraca no sentido de nos AFASTAR ou de nos MANTER LONGE das SITUAÇÕES INCONVENIENTES.

    "O QUE CONTAMINA O HOMEM NÃO É O QUE ENTRA, MAS O QUE SAÍ, DO CORAÇÃO."

    Samuel Elias, RACIOCINE, e me diga então: "O que é o estado de embriaguez?"
    Se não a contaminação da corrente sangüinea com o alcool, que chega ao cérebro impedindo a sua oxigenação? Isto mesmo, EMBRIAGUEZ é intoxicação com por alcool (bebida alcoólica)!

    Édis B. Lacerda - B. H. - M.G. 12/05/2012.

    ResponderExcluir
  12. Édis,

    Creio que você se equivocou um pouco em seu último parágrafo.

    Esta contaminação interna ainda sim não significa que provem do ser humano-orgânico.

    Este "o que sai do coração", mais tem haver com a intenção, sentimento, desejo - não necessariamente algo ligado com o orgânico.

    A própria palavra diz "não vos embriaguez com o vinho, no qual a libertinagem" (bebida alcoólica). E continua dizendo "mas enchei-vos do Espírito".

    Ora, qualquer um antes de estar num estado de embriaguez, tinha alguma intenção em seu coração para ficar neste estado - o vinho foi apenas um agente externo para alcançar um estado de deploração.

    Em outras palavras e resumindo o raciocínio que me pedistes:

    O agente ativo que trouxe mesmo o pecado, foi a intenção do coração. PENSE, a embriaguez passa depois, mas a intenção do coração se não for curada e liberta por Deus, o fará cometer a mesma atitude e piorando cada vez mais.

    Por fim, creio que esta questão está bem esclarecida, até mesmo neste seu último comentário dissestes a verdade, não há uma proibição, mas um alerta das consequências malévolas.

    Só acho que a palavra de Deus não é interpretada. Ela é revelada e continua sendo um mandamento. PENSE, o pecado nos afasta dos caminhos de Deus, caso este afastamento se dá por conta o uso da bebida alcoólica, que domina a vida de alguém, cabe a este tomar a decisão de se afastar do pecado.

    Finalizando tomando por base seu raciocínio do "nos manter longe das situações inconvenientes (que foi extremamente acertado), o que você expressou foi o mesmo que Paulo disse em I Coríntios 6:12.

    O que você tanto debateu aqui e que você chegou a uma conclusão, é a mesma de Paulo e a minha. Deus nos dá liberdade para escolhermos, a benção e a maldição. Sendo que a maldição é tudo aquilo que pode nos afastar de Deus.

    Por exemplo, devemos amar nossos filhos (e isto é algo normal e um mandamento), porém se este amor se torna uma idolatria e o põe em uma posição maior que Deus em nossa vida, se torna um pecado.

    O que não concordo contigo é em dizer que isto deixa parecer a lei de Deus mais fraca. Pelo contrário, a lei de Deus se mostra forte em nos dá liberdade, e nos alertar das conseqüências de uma escolha errada. SEMPRE HÁ UMA CONSEQUÊNCIA - OU PARA O BEM OU PARA O MAL.

    Pra acabar mesmo, repito o texto que lhe dei por base, Gênesis 4:5-7, compete a nós exercermos o domínio próprio de nossas ações.

    Obs.: Gostei muito desse seu comentário, não apenas porque em 90% se deu com o que penso, mas por ver uma mudança em sua filosofia e por evoluir na sua linha de raciocínio (não é sarcasmo, é verdadeiro esta observação).

    Abraços.

    ResponderExcluir
  13. Quando você disse à respeito do interpretarmos A BÍBLIA, que isto deixa parecer a lei de Deus mais fraca, disseste a verdade. Embora isto não enfraqueça de fato ou de verdade a palavra de Deus, ela continua tendo o mesmo poder, força ou autoridade. Na verdade a nossa interpretação, só funciona como pretexto atenuante para a nossa desobediência ou desejo de desobedecer.
    Eu JAMAIS DISSE, ou quis dizer, nos textos acima postados por mim, que a Bíblia é desprovida de poder, autoridade divina ou seja fraca. Mas sim que nós com a nossa mania de interpretação, encontramos pretextos para desobedecê-la.
    Quanto a minha possível evolução em termos de linha de pensamento... vou deixar você continuando a pensar assim; até mesmo porque não é possível demonstrar tudo o que penso ou verdadeiramente o que penso através de postagem de um ou de outro texto em momentos casuais...

    ResponderExcluir
  14. Cara chato esse edis veiooo
    vai Aceitar Jesus kraaaaaaaaaa

    ResponderExcluir
  15. Vai aceitar Jesus Edi, e q ele te de entendimento do Espirito santo.

    ResponderExcluir
  16. A palavra de DEUS não fala contra o álcool ,mas cotra o alcoolismo, como não fala contra a comida mas fala contra a gula!Tudo que é demais é veneno! Temos que evitar o álcool pois traz prejuízos ao nosso organismo e embriaga!

    ResponderExcluir
  17. A palavra de DEUS não fala contra o álcool ,mas cotra o alcoolismo, como não fala contra a comida mas fala contra a gula!Tudo que é demais é veneno! Temos que evitar o álcool pois traz prejuízos ao nosso organismo e embriaga!

    ResponderExcluir
  18. Acho muito linda a obra de Jesus porque é completa!
    O Sangue nos torna filhos e o Espírito veio nos tornar cada dia mais parecidos com Jesus de uma forma muito particular, tratando cada área, de glória em glória..

    "São como crianças que ficam sentadas na praça e gritam umas às outras: ‘Nós lhes tocamos flauta, mas vocês não dançaram; cantamos um lamento, mas vocês não choraram’.
    Pois veio João Batista, que jejua e não bebe vinho, e vocês dizem: ‘Ele tem demônio’.
    Veio o Filho do homem, comendo e bebendo vinho, e vocês dizem: ‘Aí está um comilão e beberrão, amigo de publicanos e "pecadores" ’.
    Mas a sabedoria é comprovada por todos os seus discípulos".
    Lucas 7:32-35

    A bíblia não condena o Álcool mas o Espírito sabe muito bem quem não consegue se controlar e trata no particular essa propensão.
    Da mesma forma os que não conseguem controlar a boca no falar, os que são compulsivos por comida e tantos outros desequilíbrios que o mundo ofereceu e nós topamos entrar no barco.

    No mais, seja o amor nosso maior guia em relação à essas questões..

    "Não destrua a obra de Deus por causa da comida. Todo alimento é puro, mas é errado comer qualquer coisa que faça os outros tropeçarem.
    É melhor não comer carne nem beber vinho, nem fazer qualquer outra coisa que leve seu irmão a cair".
    Romanos 14:20,21

    Se não somos capazes de nos abster de algo tão simples por amor aos mais fracos na fé, que tipo de Cristãos nós somos?

    ResponderExcluir
  19. kkkkkkkkkkk que debate longo! Mas interessante. Parabéns ao Samuel Elias pela exposição do tema. concordo em 95% do que falou. Só discordo que Jesus tenha usado o vinho alcoólico nas bodas de Caná. Não por ser pecado em si, mas pela circunstância do evento. No mais, parabéns!

    ResponderExcluir