Seja bem vindo

"Bem aventurados os irrepreensíveis no seu caminho, que andam na Lei do Senhor. Bem aventurados os que guardam suas prescrições e o buscam de todo o coração; não praticam iniquidade e andam nos seus caminhos. Tu ordenaste os teus mandamentos, para que os cumpramos à risca. Tomara sejam firmes os meus passos, para que eu observe os teus preceitos." Salmos 119:1-5



domingo, 16 de outubro de 2011

Livre arbítrio: foi ou não nos dado?


Sempre ouvimos nas pregações a respeito do livre arbítrio. Que foi algo que Deus nos deu (aos homens) como uma prova que Ele nos fez livre para escolhermos o que queríamos.
Porém está palavra não esta inserida na palavra de forma extrínseca, ou seja, não está claramente cientificando o ser humano nestes termos.
Mas isto não exclui esta verdade, pois vejamos. Desde o início da criação o Senhor Deus nos deu tal liberdade de escolha. Adão teve a liberdade de escolha, tanto vida como a morte, o bem e o mal. Deus lhe disse que se comece da árvore do conhecimento do bem e do mal morreria, sendo que no mesmo jardim tinha a árvore da vida, porém seguindo a palavra vemos que o homem antes de escolher a árvore da vida, escolheu a morte ao querer ser conhecedor do que era mal.
Veja que nesta passagem Deus deu escolha, apesar de ser alertado sobre as conseqüências o ser humano teve seu consentimento livre para desobedecer à Deus e seguir seus próprios pensamentos, ao que Deus como sendo um ser onisciente (sabedor de tudo) estava vendo o ato de desobediência, e não interferiu.
Em outros textos vemos este livre arbítrio nos sendo dado. Lemos Deuteronômio 30:19 que diz: “Os céus e a terra tomo, hoje, por testemunhas contra ti, que te tenho proposto a vida e a morte, a benção e a maldição; escolhei, pois a vida, para que vivas, tu e a tua semente”. Josué também diz: “Escolhei hoje a quem sirvais” (Josué 24:15).
Até mesmo o Senhor Jesus nos mostrou este livre arbítrio em Mateus 23:37 e disse: “Quantas vezes quis eu ajuntar teus filhos, como a galinha ajunta os seus pintos debaixo das asas, e tu não quiseste!”
Note que em todos vemos de forma intrínseca o “escolher”, o “fixar nossa vontade”, sendo que Deus apenas nos mostra o rumo de nossos caminhos escolhidos, porém dependendo do que escolhemos, Ele dará o fim que temos desejado.  
É muito simples esta doutrina do livre arbítrio! Deus nos incita a aceitá-lo por meio do Espírito Santo (pois em si mesmo após a queda jamais conseguiria ter tais forças), porém quando convencidos do que nos espera à nossa frente (vida eterna com Deus ou uma condenação eterna sem Deus) cabe a nós escolhermos qual direção vamos tomar.
Veja que tanto Deus como o diabo nos incitam com o que podem nos dar. Satanás através do mundo incita os homens para uma vida curta de libertinagem e uma infinita condenação com o mesmo depois da morte do corpo físico.
Deus ao contrário, coloca o mundo contra nós, nos dando uma vida com privações a libertinagem que a no mundo, sendo que após a morte teremos uma vida eterna com o mesmo, livre dos males trazidos pelo pecado.
Assim posso afirmar que o livre arbítrio se baseia na escolha de viver com Deus ou viver sem Deus!
Você é livre para decidir, e ninguém nem mesmo Deus decido isto para você, mas saibas escolher o caminho certo, pois depois de se desligar do seu corpo através da morte, não tem mais volta, o livre arbítrio terá cessado para nós.
Que Deus lhe abençoe, faça a escolha certa e continue nela.
Artigos relacionados com o tema:

O pecado imperdoavel:
http://templojovemvirtual.blogspot.com/2011/05/o-pecado-imperdoavel.html

A importância do Batismo nas águas e da Ceia:
http://templojovemvirtual.blogspot.com/2011/06/importancia-do-batismo-nas-aguas-e-da.html

Não deixem de ir até o final do blog para ver artigos que são os mais acessados

7 comentários:

  1. QUE TAL TENTAR EXPLICAR A PEDOFILIA DE RELIGIOSOS COMO PADRES E PASTORES DENTRE OUTROS; NAS DIVERSAS IGREJAS???POR QUÊ????????

    ResponderExcluir
  2. O que voce quer saber? Bem se sao pedófilos é porque nunca nasceram de novo, não tem Deus em seus coraçoes de verdade e devem pagar pelos seus feitos, tanto na justiça humana como na divina.

    Posso lhe garantir que pedofilia e homossexualismo é muito mais entre os padres, na área sexual entre os pastores geralmente o problema é o adultério.

    Algo mais?

    ResponderExcluir
  3. Certamente Deus não nos criou feito marionetes ou robôs programados a agir obedecendo a um comportamento padrão estabelecido por Ele. Ele nos dotou de sensibilidades tais como entendimento, capacidade de julgar uma situação, capacidade de querer e de fazer com que este nosso querer prevalecesse, em resumo Deus nos fez seres inteligentes e donos de uma auto-determinação. Sem estas características o livre direito de escolha seria nada.
    A Bíblia diz que Deus nos fez à Sua imagem e semelhança, Deus é livre em seu direito de julgar as coisas, de querer, de agir; se somos sua imagem e semelhança, não poderia ser diferente conosco.
    A Bíblia nos revela pelo menos três aspectos do querer de Deus, os quais pode nos levar a entender este querer divino como: A VONTADE DE DEUS (o simples querer de Deus) - A BOA, PERFEITA E AGRADÁVEL VONTADE DE DEUS - E... A VONTADE SOBERANA DE DEUS.
    O nosso livre direito de fazer escolhas e executá-las pode ser influenciadas ou passar pelo crivo de uma dessas vontades de Deus! Como já dissemos existe A VONTADE DE DEUS, que é o simples querer de Deus, onde as coisas sucedem com a sua permissão (sem que Ele use de direcionismo, esta vontade poderia ser considerada também como VONTADE PERMISSIVA DE DEUS ou sua PERMISSIVIDADE. Algumas pessoas, ás vezes por hábito e mesmo inconscientemente, relaciona costumeiramente sucessões de fatos negativos como tragédias, cataclismas, acidentes, fatalidades e infortúnios a essa VONTADE PERMISSÍVA DE DEUS.
    Existe A BOA, PERFEITA E AGRADÁVEL VONTADE DE DEUS, que é aquela onde Deus não apenas permite que coisas boas ou o bem aconteça; mas torce também por isso.
    E existe a VONTADE SOBERANA DE DEUS, que é aquela vontade imperiosa onde o Seu desejo se torna lei, sendo obrigatória a sua realização. Se tivermos vivendo uma circunstância onde torna se necessário que nos tornemos partes, elementos ou instrumentos para que se realize esta VONTADE SOBERANA DE DEUS, nesse caso se o nosso livre direito de escolha nos direcionarmos, por uma questão de comodismo ou outra qualquer relacionado com o nosso egoísmo, nesse caso, ainda que recusemos cooperar, poderemos ser punidos e forçados a cumprir essa VONTADE. Nesse caso o nosso livre direito de escolha pode ser anulado, como no caso do profeta Jonas, citado na Bíblia (Jonas capítulos 1, 2, 3 e 4). A VONTADE SOBERANA DE DEUS prevalece acima do direito de livre arbítrio dos homens.

    Édis Bernardes Lacerda - B. H. - M. G. - 06/06/2012.

    ResponderExcluir
  4. A VONTADE PERMISSIVA DE DEUS

    As pessoas utilizam se muito do termo "vontade de Deus" para racionalizar fatos ou situações, por uma necessidade psicológica, em situações onde é necessário uma explicação, uma justificativa, uma conformação ou aceitação (isto é mais comum em situações desagradáveis, difíceis e negativas). Mas também pode ser utilizado o mesmo termo "A VONTADE DE DEUS", em se tratando da vontade permissiva de Deus ou simplesmente da permissão divina, em uma situação de expectativa de que algo de bom, positivo, necessário aconteça ou se realize.
    Isto nos lembra o adágio popular "Não cai uma folha da árvore se Deu não quiser" ou se Deus assim não permitir. Essa é a VONTADE onde não há aplicação de esforço algum da parte de Deus, é a simples sucessão de fatos sem a intervenção divina. Apesar de esse entendimento de senso comum reconhecer que a vida, de um modo geral, está sob a supervisão da soberania divina ou depende da liberdade que esta mesma soberania possa lhe conceder.
    O autor da vida, Deus (o criador de todas as coisas), tem o poder para lhe dirigir o seu curso; intervir caso julgue necessário. Em alguns casos este entendimento poderia até honrar à Deus.
    Há, porém, um certo risco nesse modo de enxergar as coisas, quando a sucessão de fatos é negativa e desastrosa, ai podemos estar culpabilizando Deus por algo que não seja responsabilidade sua, como por exemplo: um insucesso no campo profissional - isto poderia ocorrer por motivos diversos que não a VONTADE DE DEUS (falta de competência, falta de preparação, falta de planejamento e Know How; um acidente no trânsito com vítimas fatais - pode ocorrer simplesmente por imprudência e abusos quanto a se deixar de observar algumas regras básicas, não tendo nada a ver com a VONTADE DE DEUS. Poderíam ser citados aqui tantos outros exemplos tais como estes...
    Neste aspecto, de que algo só acontece por que é da vontade de Deus ou tem a sua permissão, temos uma citação na Bíblia Cristã que reforça essa idéia, se encontra registrado em Epístola (ou Carta) de Tiago 4:13-16 :

    "Atendei, agora, vós que dizeis: Hoje ou amanhã, iremos para a cidade tal, e lá passaremos um ano e negociaremos, e teremos lucros.
    Vós não sabeis o que sucederá amanhã. Que é a vossa vida? Sois, apenas, como neblina que aparece por instante e logo se dissipa.
    Em vez disso, devíeis dizer: Se o Senhor quiser, não só viveremos, como também faremos isto ou aquilo.
    Agora, entretanto, vos jactais das vossas arrogantes pretensões. Toda jactância semelhante a essa é maligna." Tiago 4:13-16

    Mas teria mesmo Deus essa necessidade, de estar o tempo todo, vigiando a vida nos seus aspectos mais simples e corriqueiros permitindo ou vetando isto ou aquilo?

    Édis Bernardes Lacerda - B. H. - M. G. - 07/06/2012.

    ResponderExcluir
  5. Edis,

    Eu penso que este texto de Tiago está ligado não ao livre arbítrio, mas sim com nossa prepotência com relação ao futuro.

    O que quero dizer, é que nos devemos ser livres para fazer nossos planos, mas entender que o amanhã pertence ao Senhor, ou seja, NOSSA VIDA DEVE ESTAR SEMPRE NAS MÃOS DE DEUS.

    Esta é uma lição que foi ministrada ao povo de Israel no Êxodo e eles não entenderam!

    Valeu este comentário seu.

    ResponderExcluir
  6. Sim, claro, de fato, os versículos e capítulo acima citados, da epístola de Tiago (Tiago 4:13-16) falam da presunção e prepotência humana. Sem dúvida este é o tema central do trecho citado aqui; por outro lado, o versículo 15 do mesmo trecho, quando aborda a questão da Vontade Divina "... Se o Senhor quiser viveremos e faremos isto ou aquilo." Tiago 4:15 - Se aproxima bastante (por assim alguns interpretarem) daquela outra questão, também muito conhecida e pregada do meio religioso - A PREDESTINAÇÃO ou O DETERMINISMO DIVINO.
    Se é verdade que todas as experiências e situações que vivemos ou vivenciamos passa pelo determinismo divino, ou seja, como diriam os místico: "estava escrito que assim fosse" - De que valeria o nosso livre arbítrio?
    Não valeria coisa alguma, porque nesse caso, estaríamos obrigados a viver algo não pela nossa própria escolha, mas sim porque a Vontade Divina tudo havia pré-ordenado de ante-mão.
    E... nesse caso... o que dizer das escolhas erradas ou mal feitas (E elas acontecem na vida de muitas pessoas e conosco mesmo, por falta de ponderarmos (ou julgarmos) melhor uma situação, antes de tomarmos uma decisão)?
    A quem deveríamos responsabilizar então pelos nossos erros (ou mau acertos), se tudo que ocorre ou acontece na nossa vida, se dá por esbarrar na vontade divina, no determinismo divino?
    É lógico, que se assim fosse, tudo isso de escolhas e livre arbítrio seria apenas uma mera fantasia ou ilusão; não passaríamos de fantoches à mercê da Vontade Divina ou dos seus determinismo e predestinações.
    Teria Deus, nesse caso, o direito de nos pedir conta das nossas escolhas e ações? Ver: Eclesiastes 11:9; Daniel 12:1-3; I Crônicas 16:30-33;

    Édis Bernardes Lacerda - B. H. - M. G. 13/04/2013.

    ResponderExcluir
  7. MUITO BOA A MSG...
    PASTOR GOSTARIA DE TROCAR UMAS IDEIAS COM O SENHOR, SEUS TEXTOS SAO MUITOOO SHOWW...
    SE PUDER ME ADD NO FACE OU MEU E-MAIL
    Fábio Esdras
    Fabinho_crash13@hotmail.com

    ResponderExcluir