Seja bem vindo

"Bem aventurados os irrepreensíveis no seu caminho, que andam na Lei do Senhor. Bem aventurados os que guardam suas prescrições e o buscam de todo o coração; não praticam iniquidade e andam nos seus caminhos. Tu ordenaste os teus mandamentos, para que os cumpramos à risca. Tomara sejam firmes os meus passos, para que eu observe os teus preceitos." Salmos 119:1-5



terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

Os críticos de dentro da igreja.


É comum vermos crentes insatisfeitos com a igreja que frequentam, quer ser seja com o pastor, ou outra liderança, com os “irmãos” de congregação, ou com o próprio prédio.

É cediço que é impossível agradar a todos, impossível mesmo!

Qualquer pessoa que exerce algum cargo de liderança na igreja pode encontrar alguma “oposição” com outras pessoas, quer venha ser pela forma de liderar ou porque quer trazer alguma divisão.

Em todo caso, o líder está sempre lutando contra possíveis insurgentes, como também tentando proteger aqueles que apenas estão sofrendo ataques em sua fé provenientes de fofoqueiros.

Há uma grande diferença entre opinião e crítica. O pastor ou qualquer líder deve estar sempre aberto para as opiniões, que em sua maioria só tem a acrescentar. Existem até críticas construtivas, mas estas devem vir de pessoas com alguma bagagem espiritual e com experiência na vida cristã, e que sejam verdadeiramente cristãos com uma reputação ilibada.
O problema está com os críticos que não percebem que são instrumentos do diabo, minando outros irmãos, pondo em “cheque” os rumos da igreja.

É muito mais comum do que imaginamos. Em toda congregação existe um ou uns que estão sempre reclamando de algo.

São fáceis de serem identificados e possuem as seguintes características:

Se acham os mais santos (incluindo a família deles, pois a dos outros são pecadores);

Gostam de serem bajulados, quando não, ficam fazendo expressões faciais para chamar a atenção;

São venenosos em suas palavras, mesmo tendo um tom de tranquilidade ou que não quer nada;

Não entendem o conceito de autoridade espiritual;

Se acham injustiçados ou não compreendidos;

Tem para si que são mais conhecedores da bíblia e das coisas espirituais do que o próprio pastor ou líder;

São infrutíferos na maioria dos casos, mas quando dão frutos produzem “cobras” como eles;
São interesseiros;

Murmuração é unanime nos críticos. Não há exceção!

E por fim, tendem a desviar ou mudar de igreja, para lá também ser o mesmo tipo de pessoa.

Este tipo de gente sempre esteve e estará entre nós nesta terra, mas devemos possuir o discernimento e sabedoria para não irmos na “onda” que estes tentam introduzir em nossos corações.

Que Deus vos abençoe.

Artigos relacionados com o tema:
Exortação para nos reunirmos
http://templojovemvirtual.blogspot.com.br/2013/05/exortacao-nos-reunirmos-em-um-culto.html
Não deixe de ler os artigos mais acessados na parte final do blog.


3 comentários:

  1. Quando a pessoa ORA pouco tem mais tempo para falar da vida dos outros e da igreja, quando ela muito ocupada com as coisas de Deus e tem uma vida de oração, não sobra tempo.

    ResponderExcluir
  2. Grande Celso! É a mais pura verdade.

    ResponderExcluir
  3. Não acrescenta nada na obra, chega sempre atrasada, ao invés de orar sentar e começa a falar besteiras ou fazer fofocas mesmo, nunca se disponibiliza a ajudar nas tarefas da igreja, vive jogando para baixo os novos convertidos, e ainda por cima durante a pregação...ZzZzzzzzz dorme!

    Será que se encaixa nessas suas afirmações irmão Samuel?

    A paz do Senhor Jesus.

    ResponderExcluir