Seja bem vindo

"Bem aventurados os irrepreensíveis no seu caminho, que andam na Lei do Senhor. Bem aventurados os que guardam suas prescrições e o buscam de todo o coração; não praticam iniquidade e andam nos seus caminhos. Tu ordenaste os teus mandamentos, para que os cumpramos à risca. Tomara sejam firmes os meus passos, para que eu observe os teus preceitos." Salmos 119:1-5



domingo, 20 de outubro de 2013

Religião x religiosidade


Percebo em muitos casos pessoas lutando contra a religião, principalmente contra a palavra.

Falar em religião parece algo ruim, tornando-se pejorativo falar que tem uma.

Porém, religião não é ruim, é bom!

A palavra religião tem o significado de “religação com Deus”, uma conexão com o divino. Inclusive, religião é utilizada na bíblia (Tiago 1:27) com sendo algo a se ter.

Ao meu ver, o problema não está, no real sentido, na palavra religião, mas sim em religiosidade.

A religiosidade é a real prática que devemos evitar, sendo que a palavra religião é que está “pagando o pato”.

Religiosidade é o que engessa o crente, pois cria certos rituais, regras e rotina que tendem a afastar de Deus.

Ela traz uma idéia fixa e definitiva de como Deus age, não dando liberdade para Deus mover na vida desta que é religiosa.

É difícil de se argumentar com pessoas que estão com a mente cauterizadas por um espírito religioso.

Vemos isto nos evangelhos e em todo novo testamento, ao lermos como era o comportamento dos religiosos (fariseus, saduceus, sacerdotes, doutores da lei, escribas) com Jesus, que tinha a religião, mas o religiosos tinham e faziam de tudo para rejeitar o novo, um novo mover de Deus.

Deus é um ser de multiforme graça, se pegarmos toda a bíblia, veremos que em cada geração houve um mover diferente, cada profeta teve sua peculiaridade.

Em Mateus 9:14-17 e nos evangelhos de Marcos e Lucas, vemos as palavras de Cristo que não se pode colocar vinho novo em odres velhos, em outras palavras, quem não está preparado para as novidades de Deus, rejeitará a liberdade que o Espírito Santo está ministrando, mostrando o malefício que a religiosidade traz.

Assim, o problema não está na religião, e sim na religiosidade, que não vem de Deus, mas dos homens.


Que Deus vos abençoe.

Artigos relacionados com o tema:
Alerta: as diferenças entre o islã e a fé judaico-cristã
Macumba evangélica:
Falsos profetas, como agem e como identificá-los:
Jesus Cristo homem - José Luis Miranda, a nova seita que exalta o 666:

2 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Todo religioso é místico, invisível e silencioso.

    ResponderExcluir