Seja bem vindo

"Bem aventurados os irrepreensíveis no seu caminho, que andam na Lei do Senhor. Bem aventurados os que guardam suas prescrições e o buscam de todo o coração; não praticam iniquidade e andam nos seus caminhos. Tu ordenaste os teus mandamentos, para que os cumpramos à risca. Tomara sejam firmes os meus passos, para que eu observe os teus preceitos." Salmos 119:1-5



segunda-feira, 1 de julho de 2013

João Batista era a reencarnação de Elias?


Um dos argumentos mais utilizados por espíritas, é esta idéia que Elias se reencarnou em João Batista.

Há outros artigos que debato mais a respeito do espiritismo e até usei esta passagem (Malaquias 4:5-6 e Mateus 17:12-13), onde Jesus diz que João Batista era Elias como exemplo.

Porém quero focar apenas neste argumento deles, e desconstruir completamente o “espiritismo bíblico” deles, mostrando mais uma vez que eles só pegam aquilo que dá para fazer uma interpretação, e sempre errônea.

A bíblia condena todas as formas de espiritismo e desta vez, não vou usar a bíblia apenas para desmascará-los, mas a própria doutrina espírita.

Bem, vemos a bíblia dizendo que antes do Messias (Jesus) aparecer, primeiro viria um mensageiro, esse seria Elias.

Para o espírita, isto significa reencarnação, para nós significa não que seria Elias, mas alguém da escola de Elias, com o mesmo ministério.

No segundo parágrafo citei uma passagem que o próprio Jesus diz que João Batista era Elias, para os espíritas é uma confirmação que a bíblia apoia o espiritismo, para nós não mais do que o dito, ou seja, que João tinha o mesmo ministério de Elias, não de milagres, mas de chamar as pessoas para um conserto com Deus, e um detalhe, ambos se vestiam de igual modo.

Por fim e o mais interessante, há o texto da transfiguração (Mateus 17:3-13), onde vemos Moises e Elias falando com Jesus (diga se de passagem, não foi uma sessão mediúnica, pois foram falar com Cristo e não com os discípulos, e Jesus como Deus, habita em todas as dimensões).

Tenho que lembra-lhes que neste tempo da transfiguração, João Batista já tinha sido degolado (estava morto). Isto é uma grande prova que tudo que eles falam sobre a reencarnação de Elias, é uma mentira.

A doutrina espírita diz que a pessoa fica sendo (no plano espiritual) a última do estado da morte, em outras palavra, se Elias tivesse se reencarnado em João Batista, na transfiguração teria que ser Moisés e João Batista e não Elias.

Cai por terra este argumentos deles com a própria doutrina espírita.

Resumindo, João Batista não era Elias reencarnado.


Que deus vos abençoe, e vos guarde de toda mentira. Espíritas, venham para a verdade, esta não comporta muitos caminhos, apenas um, Jesus, que colocou à nós sua palavra, e bíblia, para ser única fonte. 

Artigos relacionados com o tema:

Polêmica: Espiritismo, a religião que não sabe "amar o próximo como a si mesmo e como Cristo nos amou".
http://www.templojovemvirtual.blogspot.com.br/2012/05/polemica-espiritismo-religiao-que-nao.html

Erro grotesco na minissérie Rei Davi ao fazer apologia ao espiritismo.
http://www.templojovemvirtual.blogspot.com.br/2012/03/erro-grotesco-na-minisserie-do-rei-davi.html 

Alerta: espiritismo x Bíblia:
http://templojovemvirtual.blogspot.com/2011/02/alerta-espiritismo-x-biblia_04.html

Jesus era contra o espiritismo ou não? E a questão de quem nasce deficiente.
http://www.templojovemvirtual.blogspot.com/2011/10/jesus-era-contra-o-espiritismo-ou-nao.html

OBS.: Não deixem de olharem na parte final do blog, os artigos mais acessados.

56 comentários:

  1. Como pretende convencer as pessoas de que seus argumentos são superiores se não sabe ao menos escrever corretamente?

    Você escreve muito e não diz nada. Busque se informar melhor e desenvolver técnicas de argumentação, para que consiga expor melhor as suas ideias.

    Que Deus abençoe a todos nós.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. PREEXISTÊNCIA, VIDAS PASSADAS, E REENCARNAÇÃO DO PROFETA ELIAS

      E o anjo Gabriel (mensageiro divino) falou ao sacerdote Zacarias em visão espiritual no Templo de Jerusalém: a tua oração foi ouvida; e Isabel, a tua esposa dará à luz um filho e lhe porás o nome de JOÃO.

      E esclareceu o Anjo do Senhor a Zacarias: E terás prazer e alegria com o nascimento dessa criança; Porque será grande diante do Senhor, e virtuosa no Espírito santo já desde o ventre materno; E converterá muitos dos filhos de Israel ao Senhor seu Deus; E estará adiante dele no espírito e virtude de Elias (Lucas 1. 13 a 17)

      Nota: nesta anunciação do anjo Gabriel estava se confirmando aquela profecia de Malaquias predita no Antigo Testamento há 400 anos passados, quando o mesmo por mandado divino anunciara para uma época futura a volta do espírito do profeta Elias ao cenário da vida humana (consultar Bíblia sagrada, Malaquias 4. 5)

      Lógica da revelação aos contraditores da reencarnação bíblica: Os doutores da Teologia bíblica realçam que João não era a reencarnação de Elias, e que apenas lhe fora dado (por acaso) uma missão semelhantemente ao profeta Elias.

      PORÉM, à luz da Justiça com equidade o que é que achamos da segregação racial? Da discriminação e preconceitos entre as pessoas civilizadas?

      Sim, achamos que isso é injustiça social e não concordamos com essas coisas que mostram retardamento moral. Pois bem, e se Deus na sua infinita sabedoria no momento da gestação dos seres humanos, já desde o ventre materno galardoa com a graça e iluminação do Espírito santo a uma criança que será chamada de João, e lhe destina uma missão gloriosa a de precursor da boa nova de Jesus sem nenhuma causa concreta na preexistência espiritual que justifique essa grandeza. Então, por que todas as pessoas humanas já desde o ventre materno não são beneficiadas com os raios de luz e virtudes morais boas do Espírito santo? Certamente que mundo Terra seria muito melhor com pessoas já de nascença cheias de qualidades morais virtuosas e teríamos uma humanidade com mais justiça social e, também muito mais bondade, paz e fraternidade na sociedade dos povos humanos.

      Pois Deus não faz acepção de pessoas – Tiago 2. 1-13. As almas que compõem a biosfera terráquea vêm evoluindo e crescendo para a vida superior por meio das reencarnações humanas desde o período das cavernas. Nesta lógica os ascendentes espirituais de Elias era fruto da sua própria evolução espiritual, qualidades morais essas que faziam parte de sua consciência preexistencial no momento da sua reencarnação na qual se chamaria João e lhe dava créditos perante a Providencia Divina, a ponto do anjo Gabriel realçar: que aquela criança já era virtuosa no Espírito santo desde o ventre materno.

      “Porque os que dantes conheceu (preexistência) os predestinou para serem conforme à imagem de seu filho; e aos que predestinou a estes também chamou; e aos que chamou a estes também justificou; e aos que justificou a estes também glorificou – Romanos 8. 30”

      Excluir
    2. JOÃO BATISTA, ELIAS REENCARNADO, ESTAVA SOB O EFEITO NATURAL QUE OBSCURECEM AS LEMBRANÇAS DAS VIDAS PASSADAS

      Eis que eu envio diante da tua face o meu mensageiro, que preparará diante de ti o teu caminho (Mateus 11. 7 a 10)”

      Quando os sacerdotes e levitas perguntaram a João: quem és tu?
      E confessou João, respondendo: eu não sou o Cristo.
      E questionaram-lhe os sacerdotes: és tu Elias? Ele respondeu: Não sou.
      Então, és tu profeta? E respondeu: Não.

      Assim, João Batista não tinha total lembrança da sua preexistência espiritual, submetera-se pela Providência Divina ao véu do esquecimento temporário que envolve os espíritos que reencarnam no planeta Terra. Mas o Espírito lhe revelara através da vocação que aflora naturalmente do subconsciente preexistencial, e Ele compreendera as orientações da sua predestinação deliberadas muito antes daquela missão, e nos lampejos dessa intuição, Ele ligava fatos da sua vida pregressa àquela revelação profética de Isaías e Malaquias: Eu sou a voz do que clama no deserto, como disse o profeta Isaías (João 1. 22 a 23 e Mateus 11. 10). Era uma referência à existência decorrida anteriormente, isto é, há 9 séculos passados (I Reis 17. 1 a 7), quando vivera como Elias por muitos anos refugiado no deserto da Judéia clamando contra os desvios religiosos dos seus compatriotas e sendo sustentado pelos curvos, tribos nômades que sobreviviam nas encostas do vale Jordão.

      E naquela atual existência, ele João Batista era 6 meses mais velho que Jesus; e nessa revelação sentiu a preexistência do seu Espírito antes mesmo daquele renascimento como João Batista, compreendendo também a hierarquia espiritual do Cristo que era muito superior à sua, eis um testemunho deste fato. João Batista testificou de Cristo, dizendo: Este é aquele do qual eu havia anunciado: "O que vem depois de mim é muito antes de mim, porque já existia antes de mim. (João 1. 15 a 34).

      Como Jesus existia antes de João Batista?

      Se o Batista filho de Zacarias era mais velho que Jesus de Nazaré filho de Maria (vide Lucas 1. 24-26).

      Lógico que nesta passagem João se refere à preexistência espiritual, pois a do Cristo é muitíssimo anterior à do profeta Elias.

      Na verdade, a preexistência do Senhor Jesus como espírito imortal (João 8. 56 a 58) remonta aos fundamentos e expansão do Cosmo nos planos da eternidade. Verbo divino que presidiu a origem, a gênese material e espiritual de nosso sistema planetário (Colossenses 1. 15 a 16), sendo eleito pelo Senhor da Vida e do Universo para guiar a humanidade terrestre à perfeição plena na ordem dos Céus (Mateus 28. 18) (João 8. 12 e 17. 4 a 20).

      Concluindo, entre a palavra de João desconhecendo aos questionadores o principio causal, se ele era realmente Elias? Ou se era profeta? E que ele não tinha nem mesmo consciência intuitiva que era muito mais que um profeta. E a palavra imorredoura de Jesus que afirmou categoricamente aos povos que João era o Elias que havia de vir, conforme o anúncio do profeta Malaquias, vide cap 4 vers 5 e, em Mateus cap. 11 vers 12 e também em Mateus 17. 12 a 13.

      Qual a palavra que tem mais autoridade moral para confirmar essa grande verdade? – da reencarnação de Elias em João Batista.

      A palavra de João Batista? Ou a palavra do Cristo de Deus?

      João Batista estava sob o efeito natural que se submetem os seres na programação existencial e que obscurecem as lembranças de vidas pregressas. Enquanto Jesus, espírito puríssimo na ordem celeste estava revestido dos poderes que prevalecem sobre a matéria e também diante do espírito.

      “Não temos, é certo, durante a vida corporal, lembrança exata do que fomos e do que fizemos em anteriores existências; mas temos de tudo isso a intuição, sendo as nossas tendências instintivas uma reminiscência do passado espiritual. E a nossa consciência, que é o desejo que experimentamos de não reincidir nas faltas já cometidas, nos concita à resistência àqueles pendores. (Da volta do Espírito à vida corporal/ Questões esquecimento do passado 392 a 399; O Livro dos Espíritos – Allan Kardec)”

      Excluir
    3. TRANSFIGURAÇÃO DE JESUS

      Não foi apenas uma simples visão, e sim uma transcomunicação em glória, segundo o apóstolo Lucas 9. 28-31 que afirma: os quais Moisés e Elias, em corpo espiritual, apareceram e falaram do calvário a cumprir-se na cidade de Jerusalém.


      Ao descerem do monte Jesus adverte aos apóstolos para que não contassem a ninguém sobre “visão espiritual”, até o momento adequado em que ele Jesus ressurgisse dos mortos (Mateus 17. 9). Pois na época havia muitas normas rigorosas de religiosos apegados extremamente à lei do Deuteronômio 18. 11, sujeito à penalidade de morte por apedrejamento (Levítico 20. 26-27) * Assim como ainda hoje existem preconceitos nos meios religiosos atuais quando o assunto é interação espiritual entre os vivos da terra com os redivivos do além.

      Que reflexionem todos aqueles que queiram negar as manifestações espíritas! Tudo é possível para aquele que crê, e complementa o Mestre em João 14. 12-14: obras maiores que essas realizareis...

      Quanto ao fato verificado na materialização fluídica do espírito Elias, manifestando-se visivelmente na forma e ubiqüidade da encarnação antiga, e se recentemente vivera a experiência carnal na pessoa humana de João Batista. Pois o próprio Mestre Jesus esclarece que Elias e João Batista são a mesma personalidade (vide Mateus 17. 11-13).

      Fenômeno confirmado é que a transfiguração de Jesus ocorre no auge de sua missão terrena, e nesse período Herodes, governador da Judéia, já havia executado a morte de João, por decapitação.

      - Por que, então, no monte Tabor, aparece o perfil do espírito Elias, ao invés de João que fora a sua reencarnação mais recente?


      Nada de sobrenatural!!! E nem derrogação das causas naturais que regem os dois planos de vida: material e espiritual. Tudo, enfim, se assenta no poder imensurável da Criação de Deus e na grandeza da vida universal. A Ciência humana atualmente estuda o princípio das mutações físico-químicas de algumas bactérias, que apesar de ser a menor forma de vida na Natureza, e encara esses estudos de mudança de formas desses micro-organismos de modo natural. Ampliando-se os horizontes da vida, na dimensão espiritual dos espíritos superiores, como é o caso de Elias/João Batista, O SER tem a faculdade, liberdade, e poder de se transmutar em uma configuração de veste espiritual de suas vidas passadas, e se apresentar nessa forma perfeitamente normal.


      O que se alcança no plano das energias materiais realiza-se com muito mais perfeição no reino inteligente do espírito imortal. “A ubiqüidade, a bicorporidade e a transfiguração do Espírito são fenômenos plenamente naturais da existência espiritual (cap. VII, O Livro dos Médiuns, Allan Kardec)”.

      As experiências vividas pelo espírito não se perdem no tempo; e sim, ficam armazenadas na subconsciência etérea do Ser, que pode naturalmente pela vontade divina e força elástica da mente extrafísica, reassumir as suas lembranças e formas gravadas no espaço de suas existências, sem prejudicar o todo de suas vestes espirituais – o perispírito. Isso ocorre naturalmente com espíritos de grande evolução já lapidados no fluxo das reencarnações físicas.

      Além dessas verdades, a Providência Divina estava reservando à humanidade do futuro, com a gloriosa transfiguração e materialização espiritual - profundas noções de imortalidade da Alma

      http://vozqclamabr.blogspot.com.br/2013/11/transfiguracao-de-jesus-ceus.html


      http://vozqclamabr.blogspot.com/
      Intensivo de Difusão Espiritualidade Evangélica – I D E

      Excluir
  2. Primeiramente, acho que você não leu com atenção o artigo;

    Segundo, a maior questão que fiz neste artigo você não comentou;

    Terceiro, a bíblia é um aglomerado de livros e tem que haver "harmonia" - assim, o que o espiritismo ensina é contra a harmonia que a bíblia tem, no tocante reencarnação e ressurreição, bem como justificação pelo sangue de Jesus e a auto salvação que o espiritismo ensina e outras coisas mais.

    Quarto, vou reproduzir o que nenhum espírita pode responder e que está no artigo:

    "Tenho que lembra-lhes que neste tempo da transfiguração, João Batista já tinha sido degolado (estava morto). Isto é uma grande prova que tudo que eles falam sobre a reencarnação de Elias, é uma mentira.

    A doutrina espírita diz que a pessoa fica sendo (no plano espiritual) a última do estado da morte, em outras palavra, se Elias tivesse se reencarnado em João Batista, na transfiguração teria que ser Moisés e João Batista e não Elias.

    Cai por terra este argumentos deles com a própria doutrina espírita."

    Quinto e último, deixo para você alguns artigos que lhe podem servir para entender que a bíblia deve ter harmonia, sendo que o espiritismo destoa dela:

    http://templojovemvirtual.blogspot.com.br/2012/05/polemica-espiritismo-religiao-que-nao.html

    http://templojovemvirtual.blogspot.com.br/2011/10/jesus-era-contra-o-espiritismo-ou-nao.html

    http://templojovemvirtual.blogspot.com.br/2011/02/alerta-espiritismo-x-biblia_04.html

    http://templojovemvirtual.blogspot.com.br/2012/03/erro-grotesco-na-minisserie-do-rei-davi.html

    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    2. AA especial atenção SAMUEL ELIAS,

      Você postou as seguintes palavras: Terceiro, a bíblia é um aglomerado de livros e tem que haver "harmonia"

      Acredito sim, que vc ler a Bíblia e não está entendo, se tá entendo e exclui a verdade então é cego, e como falou Jesus: "os cegos em questões espirituais são guias de cegos".... VC tem um pouco de fanatismo religioso, e fanatismo religioso é também cegueira espiritual.

      Colocar a luz debaixo da mesa é também escuridão mental.

      Vejamos se há realmente harmonia na Bíblia: "NÃO MATARÁS"
      (Exôdo 20,13 AnTigo Testamento ) segundo a Bíblia mandamento lavrado por Deus a Moisés.


      Exemplo que Moisés deixou as gerações futuras – INCITAMENTO DE MATANÇA NO ANTIGO TESTAMENTO - E falou Moisés aos oficiais do exército, inspirado em Jeová: Armem-se alguns de vós para a guerra contra os midianitas, e VINGA os vossos filhos, MATEM A TODOS: homens, mulheres, crianças e idosos...

      Sequestrem os bens dos vencidos.

      PORÉM, todas AS MENINAS VIRGENS QUE AINDA NÃO DEITARAM COM HOMENS, DEIXA-AS viver para vós (Números 31. 1 a 18 Antigo testamento - Bíblia sagrada ).

      QUE HARMONIA ESTARÁ HAVENDO NESSA CRUELDADE HUMANA?

      OBS: Eu particularmente acredito que Deus, o Senhor da Vida não tem nada haver com essa barbárie.

      O que acontece é que as Igrejas, a Teologia bíblica não informam com racionalidade as pessoas que se dizem crentes na Bíblia: A BÍBLIA É OBRA ESCRITURÁRIA PRODUZIDA PELAS MÃOS DOS HOMENS COM TODOS OS SEUS DEFEITOS, E QUE SOFREU PELO PRÓPRIO HOMEM AS TRADUÇÕES E ADULTERAÇÕES ao longo dos séculos.

      HOMENS NA BUSCA DE DEUS!

      A palavra de Deus autentica tá no Novo Testamento bíblico, através de Jesus... que viveu a plenitude do bem, do amor, do perdão, da caridade moral, e da caridade ao próximo e da espiritualidade celeste. Nesse Mestre, sim, vige o CAMINHO, A VERDADE E A VIDA.

      Excluir
    3. JOÃO BATISTA A REENCARNAÇÃO FÍSICA DE ELIAS, CÉUS

      As cinco provas bíblicas que confirmam a reencarnação do profeta Elias

      1) Na profecia escrita pelo profeta Malaquias 4. 5 – eis que eu vos envio o profeta Elias, antes que venha o grandioso dia do Senhor (Antigo Testamento bíblico há 400 anos antes do Cristo);

      2) Na palavra do anjo Gabriel ao Sacerdote Zacarias, em aparição espiritual no Templo de Jerusalém, quando anunciou a gravidez da mulher de Zacarias: " a tua oração foi ouvida, tua mulher dará a luz um filho e lhe porás o nome de JOÃO; porque será grande diante do Senhor, cheio de Espírito santificado desde o VENTRE materno, e converterá muitos filhos de Israel ao Senhor seu Deus, e irá adiante dele no ESPÍRITO E VIRTUDE DE ELIAS" (evangelho de Lucas 1. 5 - 19)

      3) NA PALAVRA DE JESUS quando deu um bom testemunho da missão de João Batista, chegando a engrandecer o nível intelectual de João, na época: “dos nascidos de mulher não apareceu ninguém maior que João”; depois Jesus revela confirmando a profecia de Malaquias 4. 5-6, do Antigo Testamento bíblico prevista há 400 anos passados: “Porque é este de quem está escrito. Eis que diante da tua face envio o meu mensageiro, que preparará diante de ti o teu caminho” – Evangelho de Mateus 11. 10

      4) Na palavra de Jesus ao reafirmar a profecia: “E, se quereis dar crédito, é este o ELIAS que havia de vir” (Mateus 11. 14), vide profecia de Malaquias 4. 5 “Eis que vos envio o profeta Elias”

      5) Na palavra de Jesus no Monte Tabor, após a transfiguração: “Mas digo-vos que Elias já retornou e não o reconheceram... ENTÂO OS DISCÍPULOS ENTENDERAM QUE JESUS LHES FALARA DE JOÃO BATISTA (Mateus 17. 13)

      Estas são expressões da verdade bíblica que testificam a volta do profeta Elias ao plano físico terrestre em nova reencarnação nos fluidos da vida humana, fato este que se confirmou na pessoa humana de João Batista.

      Aliás, essa história do profeta Elias foi toda truncada pelas mãos dos doutores bíblicos nas reformas religiosas que a Bíblia sofreu durante os séculos exatamente para dificultar o sentido da imortalidade, da preexistência, e da reencarnação que este grandioso ser foi submetido pela Providencia Divina a fim de servir de exemplo para humanidade.

      E assim como os doutores religiosos do Sinédrio espalharam falsas mensagens de que Jesus NÃO ressurgiu dos mortos, pois foram os Apóstolos que roubaram o seu corpo humano. DA MESMA maneira os DOUTORES bíblicos da atualidade pregam falsas mensagens às pessoas tentando dificultar o entendimento da imortalidade da alma e sua reencarnação no tempo e espaço da evolução humana, e mentem dizendo que Elias não reencarnou como João Batista E DESQUALIFICAM ATÉ A PALAVRA DE JESUS QUE REAFIRMOU QUE ELIAS ERA JOAO BATISTA REENCARNADO,

      Excluir
    4. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    5. FATOS ESPÍRITAS NO ARREBATAMENTO DO PROFETA ELIAS:

      O ESPIRITO DE ELIAS VOLA DO ALÉM E ESCREVE UMA CARTA

      De conformidade com o período em que sucedeu o ato do arrebatamento do profeta Elias para os planos da vida celestial, governava em Judá, contemporâneo do profeta, o rei Josafá por volta dos anos 850 antes do Cristo (2 Reis 1. 17).

      Após o arrebatamento de Elias SEGUNDO A BÍBLIA, fato descrito que JORÃO filho de Acabe reinava em Israel; e JOSAFÁ reinava em Judá e governou 12 anos (II Reis 3. 1)

      E, 10 ANOS DEPOIS do arrebatamento espiritual do Profeta Elias para o Céu, foi enviada uma carta escrita de próprio punho pelo profeta Elias para o sucessor de Josafá, nessa época Jeorão (2 Reis 8. 16), criticando a corrupção moral de seu governo e vaticinando flagelos que cairiam sobre o povo (2 Crônicas 21. 12).

      Curiosidades bíblicas:

      Como Elias escreveu essa carta, 10 ANOS DEPOIS do seu arrebatamento para a dimensão celeste? SE o mesmo já não mais pertencia ao plano físico carnal ?!

      Provavelmente utilizou a psicografia através da mediunidade de Eliseu, o seu auxiliar direto, vide na Bíblia depois do arrebatamento de Elias essas evidenciais em 2 Reis 2. 15: “O ESPÍRITO DE ELIAS REPOUSA SOBRE ELISEU”.

      Excluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Amigo,

    A Bíblia são vários e pequenos livros que foram escritos ao longo dos séculos, MUITOS SÃO EXTREMAMENTE REGIONALISTAS, principalmente os do Antigo Testamento e que só servem para aquela época. HOJE UTILIZAMOS apenas como cultura. Por isso Jesus RESUMIU TODO O ANTIGO TESTAMENTO em apenas dois mandamentos: amar a Deus sobre todas as coisas e em todas as coisas, e o segundo é uma consequencia do primeiro: amar ao próximo como a si mesmo.

    A REVELAÇÃO BÍBLICA É ESPIRITUAL, e, essa revelação estar tanto no Antigo Testamento quanto na Boa Nova de Jesus: "olhos para ver e ouvidos para entender" porque ela tem o sentido espírita. O ESPIRITISMO ESTÁ NA PRÓPRIA NATUREZA , faz parte das leis da Natureza. POR isso é que vemos muitas coisas espíritas na Bíblia.

    O ESPIRITISMO É UMA CIÊNCIA QUE DEUS ENVIOU Á TERRA EM FORMA DE FILOSOFIA PARA ESCLARECER AS RELIGIÕES.

    Tudo que é novidade sempre foi combatido pelas mentalidades que não compreendem e rejeitam o que é novo. O CRISTIANISMO foi combatido e, perseguido durante 400 anos

    ResponderExcluir
  5. Abraão, você escreve muito e não diz nada. Pura teoria espírita sem fundamentos bíblicos, só você que não viu que há inúmeras contradições com as bases bíblicas até citadas por ti, que não dizem nada sobre o que afirma.

    Não conseguiu responder a questão que suscitei no artigo, porque não há como. Há contradição na própria doutrina espírita.

    Outra coisa, você escreve (ou reproduz) muito, mas saiu fora de outra questão - a harmonia bíblica com o espiritismo - NÃO HÁ.

    Por isso lhe indiquei os outros artigos par que veja que não há conexão da bíblia com o espiritismo, a começar pelo sacrifício de Cristo que seria em vão.

    No entanto, só vale a pena lhe responder este último comentário seu, no tocante esta carta:

    Com todo respeito, creio que você e muito espíritas são analfabetos funcionais (consegue lê, mas não entendem)

    2 Reis 1:17 (citado por você já demonstra que Elias e Jeorão se conheceram antes do arrebatamento) - Elias era profeta de Israel e não Judá (eram reinos diferentes na época), por isto ele enviou uma carta e não fez como fazia com Acabe, rei de Israel.

    Estes livros não datam cronologias.

    Lembre-se, Deus condenou a mediunidade em toda bíblia, por que então iriá se contradizer. Errais não conhecendo as escrituras!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    2. CONHECEREIS A VERDADE E A VERDADE VOS LIBERTARÁ...

      Pastor Samuel Elias quando vc afirma que muitos espíritas são analfabetos funcionais, é porque vc tá analisando o seu próximo pela sua cabeça com pouco discernimento espiritual, e isso é fruto de um péssimo cristão, ou, é porque vc tem uma visão distorcida da vida - uma pessoa cheia de preconceitos.

      Vamos conhecer melhor a História para fazer questionamentos sensatos:

      Depois da morte do rei Salomão surgiram conflitos religiosos internos entre as tribos do povo hebreu (CISMA), ocasionando divisões políticas:

      Reino de Judá, com a capital em Jerusalém;

      Reino de Israel que ficou sendo governado por Jereboão, com a capital em Samaria, e que aliou-se aos fenícios outrora inimigos mortais do povo israelita.

      E no decorrer das sucessões e reinados implantou-se o paganismo como religião oficial em Israel, tendo em Jezebel mulher do rei Acabe, o elo principal dessa usurpação.

      SEGUNDO A BÍBLIA: ELIAS, o tisbita, dos moradores de Giliade (I Reis) 17. 1)

      Na Bíblia, "Gileade" significa o "monte de testemunho" ou "monte de testemunha", (Gênesis 31:21), uma região montanhosa a leste do rio Jordão, situado no Reino da Jordânia. Também é referido pelo nome aramaico Jegar-Saaduta, que carrega o mesmo significado que o hebraico (Gênesis 31:47). Devido a sua característica montanhosa é chamada de "o monte de Gileade" (Gênesis 31:25). É também chamada de "a terra de Gileade" (Números 32:1), e às vezes simplesmente de "Gileade" (Salmos 60:9, Gênesis 37:25). Como um todo, incluiu os territórios da tribo de Gade, Rúben e a metade oriental de Manassés (Deuteronômio 3:13; Números 32:40). Foi delimitada a norte por Basã e ao sul por Moabe eAmom (Gênesis 31:21; Deuteronômio 3:12-17

      Quando o rei Acabe questionou a Elias: " és tu o perturbador de Israel? Exatamente pelo fato de que como Elias era de Judá e vinha ao reinado de Israel profetizar, e segundo o Rei Acabe, Elias que era de outra região estava perturbando a nova ordem religiosa que estava sendo implantada no reinado de Israel.

      SEGUNDO A BÍBLIA, fato descrito depois do arrebatamento de Elias, JORÃO filho de Acabe reinava em Israel; e JOSAFÁ reinava em Judá e governou 12 anos (II Reis 3. 1)

      MORRE JOSAFÁ CONTEMPORANEO DE ELIAS, e JEORÃO ASSUME O GOVERNO

      De acordo Crônicas, na Bíblia sagrada, a carta veio assinada por Elias, o profeta, e era destinada a JEORÃO, filho de Josafá ( 2 Cronicas 21 . 12)

      NESSA ÉPOCA da carta ELIAS JÁ HAVIA SOFRIDO O ARREBATAMENTO, faça Pastor a cronologia

      PELO VISTO PASTOR SAMUEL QUEM NÃO ESTÁ ENTENDO A DESCRIÇÃO Bíblica é vc com o seu FRACO CONHECIMENTO.

      Excluir
    3. Conheço a história de Judá e Israel muito bem, bem melhor do que você e creio que nem ao menos leste 2 Reis 1:17, onde mostra claramente que eram contemporâneos e ainda não tinha acontecido o arrebatamento.

      Excluir
    4. Vc tem que conhecer é JESUS CRISTO
      e brilhar a luz divina com dignidade, amor, compreensão

      E não ser um PASTOR exaltado, orgulhoso, Aprenda isto; A QUEM MUITO FOI DADO MUITO LHE SERÁ COBRADO (Lucas 12. 48)

      CUIDADO! Senão Pastor Elias tu vais ser rebaixado no Céu ..


      Excluir
    5. Estás engando Pastor Elias. Deus não condenou a mediunidade OS RELIGIOSOS SIM, PORQUE são hipócritas! OS MESMOS RELIGIOSOS QUE NA CORTE DO SINÉDRIO CONDENARAM JESUS e pediram a crucificação diante de Pliatos.. E ESSES RELIGIOSOS SEGUIAM O VELHO TESTAMENTO E SE DIZIAM DEFENSORES DA LEI DE MOISÉS

      ESTUDE E ENTENDA, POR FAVOR. Não seja pregador de falsas mensagens!

      Excluir
    6. OS ESPÍRITOS DOS PROFETAS ESTÃO SUJEITOS AOS PROFETAS (I Coríntios 14. 32)

      NÃO ACREDITEIS EM TODO ESPÍRITO, MAS PROVAI SE OS ESPÍRITOS SÃO DE DEUS (I João 4. 1), ou seja, se estão a serviço da causa divina

      A mediunidade é uma capacidade mental que o Apóstolo, ou servidor do Cristo, ou trabalhador do bem, desenvolve para entrar em interação com os seres espirituais inteligentes. Assim como usamos a tecnologia de um celular para fazermos ligações interurbanas, da mesma forma o homem espiritualizado pode desenvolver capacidades psíquicas para fazer intercambio com os Espíritos do Bem.

      Os Profetas eram médiuns, ou seja, faziam o intercambio entre o plano físico e reino espiritual.

      Se esse intercambio tem fim útil e edificante entramos em conexão com os Espíritos superiores da criação de Deus. Se o intercambio visa coisas destrutivas, aí a troca de energias se faz com os espíritos imperfeitos.

      Vemos a mediunidade em diversas narrações da Bíblia:
      Na transfiguração gloriosa do Tabor; No Pentecostes; Na consulta de Saul à médium de En-dor; Na anunciação do Anjo Gabriel; Nas diversas manifestações de espíritos que aparecem após a ressurreição do Cristo (Mateus 27. 52-53); Na própria volta de Jesus pós-túmulo comprovando a sua imortalidade.

      Em verdade vos digo: vereis o Céu aberto e os Anjos de Deus subirem e descerem sobre o filho do homem (João 1. 51)

      Excluir
  6. Pastor Samuel Elias,

    Você parece que é cego, "guias de cegos" ... como afirmou Jesus aos anciãos religiosos

    Fanatismo é escuridão mental

    ENTENDA:
    POR QUE ENTÃO NA TRANSFIGURAÇÃO APARECE O PERFIL DE ELIAS, AO INVÉS DE JOÃO QUE ERA A REENCARNAÇÃO MAIS RECENTE?

    Nada contrário às Leis da natureza espiritual. E nem derrogação das causas naturais que regem os dois planos de vida: material e espiritual. Tudo, enfim, se assenta no PODER IMENSURÁVEL da Criação de Deus e na grandeza da vida universal.

    A Ciência humana atualmente estuda o princípio das mutações físico-químicas de algumas bactérias, que apesar de ser a menor forma de vida na Natureza, e encara esses estudos de mudança de formas desses micro-organismos de modo natural. AMPLIANDO-SE os horizontes da vida, na dimensão espiritual dos ESPÍRITOS SUPERIORES, como é o caso de Elias/João Batista, O SER tem a faculdade, liberdade, e poder DENTRO DAS LEIS DIVINAS de se transmutar em uma configuração de veste espiritual de suas vidas passadas, e se apresentar nessa forma perfeitamente

    DEUS ESTAVA DANDO MAIS UMA LIÇÃO AOS HUMANOS, DA GRANDEZA DA VIDA, E IMORTALIDADE DA ALMA.

    As experiências vividas pelo espírito em suas REENCARNAÇões não se perdem no tempo; e sim, ficam armazenadas na subconsciência etérea do Ser, que pode naturalmente pela VONTADE DIVINA e força elástica da mente extrafísica, reassumir as suas lembranças e formas gravadas no espaço de suas existências, sem prejudicar o todo de suas vestes espirituais – o perispírito. Isso ocorre naturalmente com espíritos de grande evolução já lapidados no fluxo das reencarnações, como é o caso de Elias.

    COMO NÃO HÁ HARMONIA DO ESPIRITISMO COM A BÍBLIA? Se a própria Bíblia é fértil nos princípios espíritas.

    DA MESMA MANEIRA VOCê Pastor Elias NÃO SABE O QUE´É O EVANGELHO: mensagem de amor, de paz, de confraternização, perdão incondicional, de RESPEITO AOS CREDOS RELIGIOSOS, e que o MAIOR na causa de Jesus que seja o servo de todos.

    COMO CONDUTOR DE ALMAS REFLITA NESTE ENSINAMENTO:

    “Um faz diferença entre dia e dia, mas outro julga iguais todos os dias. Cada um esteja inteiramente seguro em seu próprio ânimo.

    Aquele que faz caso de dia, para o Senhor o faz. O que come, para o Senhor come, porque dá graças a Deus; e o que não come, para o Senhor não come, e dá graças a Deus (Romanos 14. 5 a 6)”

    ResponderExcluir
  7. Abraão, primeiramente vou pedir para você comentar sem utilizar essa "propaganda de blog" ao final, pois sem minha autorização o tem feito.

    Segundo, quem vejo que é um cego espiritual és tu meu caro amigo.

    Mais uma vez, você não conseguiu me responder a questão. A própria doutrina espírita se contradisse nesta passagem, e não tem como fugir disso.

    Você utiliza passagens bíblicas, mas sem o contexto bíblico. Em nada fazem apologia ao espiritismo com relação a espiritualidade.

    Reencarnação é completamente fora do padrão de ressurreição.

    Anula o sacrifício de Jesus na cruz. É simples.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    2. MAS AI DE VÓS, ESCRIBAS E FARISEUS, HIPÓCRITAS! PORQUE FECHAIS AOS HOMENS O CONHECIMENTO DO REINO DOS CÉUS; e NEM VÓS ENTRAIS NEM DEIXAIS ENTRAR AOS QUE ESTÃO ENTRANDO. (Mateus 23. 13)

      TODA VEZ QUE SE NEGA A ALGUÉM UM ESCLARECIMENTO EM TORNO DA PALAVRA DE JESUS ESSE VERSÍCULO ACIMA ENQUADRA-SE PERFEITAMENTE A ESSA PESSOA.

      E ASSIM PASTOR ELIAS VOCÊ EXCLUI DO SEU BLOG INFORMAÇÕES IMPORTANTE AO PUBLICO QUE POSTEI, SIMPLESMENTE, PORQUE VC TEM UMA VISÃO OBSCURA DA PALAVRA DE DEUS... SE VOCÊ REALMENTE ESTIVESSE COM A VERDADE DE CRISTO, NO CORAÇÃO, VOCÊ NÃO TEMERIA O DEBATE CONSTRUTIVO em torno do conhecimento bíblico.

      VOCÊ, SIM, QUER ALIENAR AS PESSOAS COM SEUS PRECONCEITOS RELIGIOSOS

      Excluir
    3. Você pode postar outra vez, retirando a menção do site apenas.

      Excluir
  8. Pastor Samuel Elias

    Você é que tem demonstrado CEGUEIRA porque é ignorante em relação à espiritualidade bíblica.

    POR QUE RETIRASTES DO TEU BLOG os comentários que fiz com RESPEITO à REENCARNAÇÃO Bíblica?

    VC QUER SIM, COLOCAR A LUZ DEBAIXO DA MESA, TEM MEDO DA VERDADE.... quer teleguiar as pessoas com os seus PRECONCEITOS RELIGIOSOS FRACOS; DEIXAM AS PESSOAS LEREM AS INFORMAÇÕES PARA QUE ELAS POSSAM DISCERNIR O CONHECIMENTO...

    QUANDO COLOCA O ASSUNTO DE ORDEM PÚBLICA num instrumento público TEM QUE SE OUVIR os comentários....

    VC não é DONO DA VERDADE, VÁ ORAR E VIGIAR...

    LEITORES DA BÍBLIA

    Felizmente as Escrituras sagradas da Bíblia são conjunto de ensinamentos férteis em contradições; caso contrario, não seria mais penetrante que espada alguma de dois gumes (Hebreus 4. 12); isto é, cortante dos dois lados e só encontraríamos nela a verdade unilateral de religiosos radicais, como se a vida fosse criada apenas para o modo de pensar dessas pessoas intransigentes em assuntos religiosos. Ela não seria, portanto, um livro universal. O tolo, o sábio, o fanático, o racional, o radical, o filósofo, todos enfim encontram consolo e orientações para os seus questionamentos. Convém selecionar o que é melhor para cada um.


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A BIBLIA - espada de dois gumes -FÉRTIL EM CONTRADIÇÕES

      Num mesmo livro da Bíblia, por exemplo, o livro de Hebreus encontramos a passagem que os opositores radicais negam a reencarnação por falta de raciocínio lógico, vide Hebreus 9: 27

      E, mais adiante também no livro de Hebreus 11. 35 vemos o ensinamento racional da reencarnação: “AS MULHERES RECEBENDO pela ressurreição os seus mortos; alguns se torturaram não aceitando o seu livramento para alcançarem uma superior ressurreição”. Como é que esta ressurreição necessita de MULHERES para concebê-la? E que faculta o livramento para se alcançar uma SUPERIOR ressurreição? Mas a ressurreição para imortalidade no reino celestial não é em corpo espiritual, incorruptível de acordo epístola de Paulo aos I Coríntios 15. 44 – 50 ?

      Mulher recebendo a ressurreição, ou seja, concebendo a ressurreição carnal, é o mesmo que reencarnação física;
      Mulher = templo que dá a luz aos seres na vida física;
      Mortos = almas dos antepassados;
      Alguns mortos se torturam porque se angustiam com as provas e provações a serem concluídas;
      Livramento = superação do carma (pecados);
      Superior Ressurreição = ressurreição para a vida no plano divino celestial

      A Bíblia não é de particular interpretação (II Pedro 1. 20), não encontramos nela somente ideias primitivas que incita o radicalismo; e sim vemos conceitos atualizados para todos os tempos da evolução do homem. Senão ela não seria viva e eficaz.

      Não nos esqueçamos de uma coisa sensata com racionalidade que a Bíblia é a palavra de Deus ESCRITA PELAS MÃOS DOS HOMENS ao longo dos séculos. E, os homens são suscetíveis de cometerem falhas, erros de grafia, de concordâncias, de traduções e até mesmo de interpretações. Por isso mesmo é que o Apóstolo adverte em suas páginas: “não creiais em todo espírito, mas provai se os espíritos são de Deus ( I João 4. 1)”.

      Excluir
  9. A BÍBLIA é um livro FÉRTIL em CONTRADIÇÕES que, se a pessoa desprevenida sem orientação evangélica ler por exemplo o livro de Levítico e ou Deuterenômio no Antigo testamento e achar que aquilo que tá escrito a li é a Palavra Absoluta de Deus, SEM AJUIZAR QUE AQUELAS ESCRITURAS São PALAVRAS SIM, ESCRITAS PELAS MÃOS DOS HOMENS NA BUSCA DE DEUS.

    VEJAMOS; Os filhos viciosos e desobedientes aos seus pais devem ser apedrejados até a morte (Deuteronômio 21. 18 a 21)

    Pessoas com deficiência física e mental estão proibidas de se aproximar do Altar do culto religioso no Templo, para não o profanar com o seu defeito (Levítico 21. 17 a 23)

    Descontente com a esposa o homem pode dispensá-la sem nenhuma compensação, dando-lhe carta de divórcio (Deuteronômio 24. 01)

    Se um animal habituar-se a atacar alguém o ferindo de morte, e seu dono é conhecedor deste fato e não o guardou, o animal será morto juntamente com o seu dono (Êxodo 21. 28 a 29); Outro ensinamento cruel do ANTIGO Testamento: “Se uma jovem é dada por esposa a um homem e este descobre que ela não é virgem, então a jovem deve ser apedrejada até a morte, diante de seus pais (Deuteronômio 22. 13 a 21)”

    E falou Moisés aos oficiais do exército, inspirado em Jeová: Armem-se alguns de vós para a guerra contra os midianitas, e VINGA os vossos filhos, matem A TODOS: homens, mulheres, crianças e idosos... Sequestrem os bens dos vencidos. PORÉM, todas as meninas virgens que ainda não deitaram com homens, DEIXA-AS viver para vós (Números 31. 1 a 18).

    CEGOS! GUIAS DE CEGOS!!!

    QUE NÃO SABEM DISCERNIR O QUE ESCRITURA HUMANA DAQUILO QUE é REVELAÇÃO DIVINA

    ResponderExcluir
  10. RESSURREIÇÃO é sinônimo de vida contínua

    DEUS NÃO é deus de mortos...

    DISCERNIMENTO ESPIRITUAL: A reencarnação é também uma ressurreição. Ressurreição da ALMA nos fluidos da vida carnal terrestre em outras gerações futuras.

    Ainda com relação ao Cristo, o Senhor. Antes de seu espírito vir ao mundo físico carnal para submeter-se à encarnação humana e sendo reconhecido a partir dai, como Jesus, conforme anunciação do anjo Gabriel (vide Lucas 1. 26 - 31). O seu espírito já existia nos planos celestiais do infinito de Deus, vejamos estas verdades:

    - “SAÍ DO PAI, e vim ao mundo, OUTRA VEZ deixo o mundo, e vou para o Pai” (João 16. 28)

    - E O VERBO SE FEZ CARNE e habitou entre nós (João 1. 1 a 14)

    PENSEM NISTO: muito antes da fundação do planeta Terra, no Cosmos, JESUS sempre existiu como espírito imortal no seio imaterial do Pai Celestial (João 8. 57, 58) (João 17. 5)

    Ressurreição (do latin ressurrectione), isto é, ressurgir, retornar à vida que pode ser tanto material quanto espiritual.

    RESSURREIÇÃO: é apenas figura de linguagem para entendimento humano da vida contínua do espírito imortal, que sai da vida espiritual nascendo no mundo físico; que deixa a vida material pelo fenômeno da morte corporal para ressurgir no mundo espiritual; e que retorna novamente à existência física em gerações sucessivas no tempo e espaço da evolução terrestre para crescimento intelectual e moral; e que deixa a vida carnal fazendo sua ascensão à vida superior nos planos eternal de Deus... Por isso é que a vida espiritual é plena em Deus, porque Deus não é deus de mortos, vide Lucas 20 - 38.

    E como “dogmatizar ao pé da letra” a ressurreição de Jesus em face de sua PREEXISTÊNCIA espiritual?

    JESUS quando ressurgiu para comprovar a imortalidade do seu espírito, apenas reassumiu a sua antiga forma de existência celestial em corpo espiritual. “DOU A MINHA VIDA PARA TORNAR A TOMÁ-LA... TENHO PODER PARA A DAR, E PODER PARA TORNAR A TOMÁ-LA, João 10. 17- 18"

    COMO DOGMATIZAR AO PÉ DA LETRA A RESSURREIÇÃO DE JESUS EM FACE DE SUA PREEXISTÊNCIA ESPIRITUAL, SE O MESMO SEMPRE EXISTIU ANTES DE SUA ENCARNAÇÃO HUMANA

    É SÓ LER E ENTENDER NO EVANGELHO QUE JESUS SEMPRE EXISTIU COMO ESPIRITO IMORTAL MUITO ANTES DA FUNDAÇÃO DO PLANETA TERRA ( JOãO 17. 5)

    ResponderExcluir
  11. Caro Abrahão,

    você pode postar outra vez, apenas por ser algo que imponho a outros, endereços de sites, sem minha autorização, estão sujeitos a serem retirados. É só não fazer menção de sites.

    Não estou alienando ninguém, se fosse assim, não deixaria ter comentários. Creio eu que você já viu o artigo alerta: espiritismo x bíblia, que tem quase 300 comentários e ali, vemos os mais variados, desde defensores como contrário.

    Por, quanto mais você escreve, mais dá para perceber que de bíblia você não entende, e a tem tomado por "particular interpretação".

    Não quero lhe ofender, lhe amo em Cristo, mas entenda meu caro, o espiritismo é uma religião diferente da bíblia, não tem como andar juntas.

    Se quer seguir o espiritismo, amém, mas parem de falar que a bíblia é um livro que faz apologia ao espiritismo. O espiritismo não é cristão.

    Nunca leste Hebreus 9:27 que diz: aos homens foi ordenado morrer uma só vez!!!! Vindo depois disto o juízo!

    O espirito é imortal, mas esta carne não, onde será transformada na ressurreição (1 Coríntios 15:12-57).

    Mais importante, a doutrina espirita vai numa direção contrária a mensagem da cruz. Se Cristo morreu por nós ele é quem nos justifica, assim, após a morte, esperamos a ressurreição, pra vivermos com Ele para sempre, numa terra onde não há morte.

    A bíblia traz uma mensagem de vitória sobre o pecado de Adão, que nos trouxe a morte, sendo que em Cristo é vida. O verso bíblico acima diz bastante.

    E digo mais, NENHUM HOMEM CONSEGUE SE JUSTIFICAR, por isto Cristo deu a sua vida por nós.

    Ou segue um ou o outro, veja, não há paralelo, são diferentes, não há harmonia. O espiritismo refuta Jesus em sua obra.

    ResponderExcluir
  12. O HOMEM REENCARNA? CÉUS

    “E, como aos homens está ordenado morrerem uma vez, vindo depois disso o juízo”. Paulo - apóstolo (Hebreus 9. 27)

    Desde que a humanidade estruturou a palavra, para cada coisa empregou-se um termo segundo a sua compreensão, assim é que a expressão Homem é usada no mundo das formas materiais para designar fisicamente a criatura humana. Já no plano extrafísico do cosmo espiritual, quando o ser está desenfaixado das células carnais, ele é simplesmente reconhecido como - Espírito.

    Aquele que tiver ouvidos para ouvir, que entenda:

    Homem (do latin Homine) qualquer indivíduo pertencente à espécie animal que apresenta o maior grau de complexidade na escala evolutiva material – o ser humano. (*) Novo Dicionário Aurélio

    Espírito (do latin Spiritu) a parte imaterial e indestrutível do ser humano - a Alma. (*)

    Morrer (do latin morrere) perder a vida material – falecer. (*)

    Juízo (do latin judiciu) julgamento, conceito, foro ou tribunal, estabelecer uma relação entre dois ou mais termos. (*)

    A afirmativa do apóstolo Paulo está judiciosamente correta. O homem morre de fato e, uma vez após a sua morte física, no tempo e espaço naturalmente abre-se o foro íntimo de sua consciência espiritual e segue-se o juízo, que é a aferição dos valores morais e intelectuais das existências para a vida eterna em Deus, da qual Jesus é o divino orientador para todas as criaturas que evoluem no plano material terrestre (II Coríntios 5. 1 a 11). “O corpo humano volta ao pó”; isto é, a compor os elementos químicos do ambiente da terra; “e o espírito retorna a Deus que o deu” (Eclesiastes 12. 7); ou seja, regressa à força divina mantenedora da vida extrafísica no Cosmo.

    Logo, para que possamos compreender os mecanismos da vida, o corpo físico é apenas uma vestimenta para o ser espiritual se manifestar no plano da vida física terrestre. E segundo estes princípios a criatura humana apresenta o aspecto intrínseco da natureza espiritual e material, assim definido:

    Espírito a estrutura intelectual, a essência imaterial, etérea, imortal e invisível aos olhos físicos conectado na existência planetária ao corpo animal que é formado de matéria orgânica. Portanto, quem morre de fato na existência material é o homem quando lhe cessa completamente as funções orgânicas da vida animal terrestre. Mas o seu espírito permanece e em forma de energia sobrevive com a sua mente etérea que guarda todos os registros vivenciados nos planos astrais. E assim, no espaço e tempo da evolução humana esse espírito é quem pode sofrer os renascimentos ou, reencarnações na vida física em outras gerações, para atender o princípio natural de aperfeiçoamento do Ser consciencial, por isso é que a Escritura sagrada testifica: que o espírito retorna, ou seja, volta novamente para o seio imaterial da criação infinita de Deus.

    ResponderExcluir
  13. O ESPÍRITO É QUE RENASCE NA VIDA MATERIAL, REENCARNA EM OUTRAS GERAÇÕES,
    RESSURGE NO MUNDO CARNAL

    Se ao invés de homens morrerem, o Apóstolo Paulo tivesse escrito: aos Espíritos está ordenado nascerem uma única vez... Então aí poderíamos acreditar numa criação estática subordinada ao acaso e totalmente injusta, em virtude das desiguais provações sociais e morais.

    Felizmente, a Bíblia é tão rica em conhecimentos que nos apresenta um modelo real de renascimento do Ser na vida material ou, reencarnação do espírito nos fluidos carnais. Quando a palavra do Cristo testifica que Elias voltou e os homens não o reconheceram (Mateus 17. 12), é que a mesma força intelectual invisível do Ser (espírito) que animara o profeta há 9 séculos passados (Malaquias 3. 1 e 4. 5), retorna à labuta material terrestre em outra geração e renasce na existência humana como filho de Zacarias e Isabel (Lucas 1. 5 a 17). E em virtude das paisagens do meio ambiente já serem outras, naturalmente o espírito se submetera aos impositivos sociais humanos e às leis de hereditariedade biológica para cumprir desta forma o ciclo normal de crescimento interno para o reino divino que se desdobra nos planos astrais.

    Ser algum, e quando falamos aqui em ser referimo-nos ao princípio imortal indestrutível – o Espírito. E não ao perecível corpo mortal humano, jamais conseguiu, ou conseguirá, em uma única etapa de existência a perfeição plena para subir ao céu da vida divina e contemplar a Deus no seu todo universal. Na verdade, conforme o ensinamento de Jesus, é necessário ao Ser espiritual passar pela série de novos nascimentos através dos elementos da natureza: Água e Espírito, com a finalidade de poder alcançar a eterna excelência do Reino dos Céus (João 3. 1 a 13).

    ResponderExcluir
  14. Abrahão mais que rolo é este?! Que interpretação mais sem qualquer nexo com o texto e seu contexto!

    As duas referencias bíblicas que lhe dei já explicam qual a visão bíblica sobre a morte e ressurreição, bem como refuta a reencarnação.

    É como eu já disse, não há comunhão da bíblica com o espiritismo, é um ou o outro que você segue.

    A questão de Elias e João já foi bem explicada também no artigo.

    Não adianta vir com Latim ou outras coisas exteriores para explicar o que é explícito na bíblia. Mesmo assim, com o uso de latim e outras coisas mais que você tentou para explicar, ficou vazio e sem ligação com a bíblia.

    Estas bem confuso meu amigo.

    ResponderExcluir
  15. A LETRA MATA... O ESPÍRITO VIVIFICA (2 Coríntios 2. 3)

    Temos que desmatar a simbologia da letra para não sufocar o entendimento espiritual

    “E como aos homens está ordenado morrerem uma vez vindo depois disso o juízo”.

    Paulo ao escrever o versículo 27 no capitulo 9 da carta aos Hebreus, POR ACASO ESTAVA DECRETANDO LEIS IMUTÁVEIS E INDERROGÁVEIS DA NATUREZA?

    As Escrituras Sagradas são leis inderrogáveis?

    SE SÃO, POR QUE então as religiões conservadoras dos ensinamentos HEBRAICOS não seguem essa tradição inserida no capitulo 10 versículo 28 dessa carta aos HEBREUS, que cita: “QUEBRANDO/desrespeitando ALGUÉM A LEI DE MOISES, MORRA SEM MISERICORDIA, SÓ PELA PALAVRA DE DUAS OU TRES TESTEMUNHAS”

    Algum sistema religioso nas nações civilizadas executa semelhante absurdo bíblico do Velho Testamento hebraico de pena de morte de pessoas por apedrejamento somente por discordar de princípios religiosos, conferir Deuteronômio 17. 1 – 12)

    O mundo evolui, as coisas progridem, a civilização não anda mais de carroça... O Homem já estuda a velocidade luz... E consegue transpor a barreira do tempo

    A reencarnação expressa com perfeição as Leis de sabedoria, justiça, equidade, e poder de Deus na criação cósmica.

    A reencarnação é uma RESSURREIÇÃO CARNAL, via carne (mundo físico material).
    Vejamos o que cita a carta aos HEBREUS 11. 35 que nos fala de duas naturezas de ressurreição: uma concebida pelas mulheres; E, A OUTRA após o livramento das provas para se alcançar UMA MELHOR RESSURREIÇÃO.
    “AS MULHERES RECEBERAM/conceberam PELA RESSURREIÇÃO OS SEUS MORTOS” alguns se torturaram não aceitando o seu livramento para alcançarem UMA MELHOR RESSURREIÇÃO.


    ResponderExcluir
  16. Abrahão, que viajem foi esta que fizeste ao citar a bíblia?

    Você não entendeu nada o que mesmo citou. O livro de Hebreus é uma clara a mostra na mudança da lei mosaica para a de Cristo - não seguimos a lei mosaica no quesito judiciário mais, pois em Cristo foi abolido.

    Mesmo assim, HÁ HARMONIA.

    Porém, não foi o homem que mudou, mas o próprio Deus mostrou uma nova aliança (ele é o único que pode fazer isto). Não é derrogada a nenhum homem mudar as leis de Deus.

    Reencarnação não é ressurreição - o texto de Hebreus 11:35 não quer dar este significado que você postou, leia o capítulo inteiro, que fala sobre fé e utilizando algumas passagens com simbolismo do Antigo Testamento. Esta parte, fala mais de martírio!

    Não é CONCEBERAM - É RECEBERAM de receber os corpos de martirizados. Pois preferiam morrer que negar sua fé, a espera da ressurreição que se dará na volta de Cristo.

    Por fim, para tentar te esclarecer mais, em João 3:4 vemos Nicodemos citando algo parecida com a reencarnação, sendo que Jesus deixou bem claro para ele que o cristianismo não é reencarnação.

    no verso 9 Nicodemos entende que não se trata de nascer outra vez num ventre materno (reencarnar), porém, assim como muitos espíritas, não entendeu o que é NASCER de novo. (não é RENASCER)

    No verso 10 até o 21 Jesus mostra claramente que não depende do homem, mas da fé em Jesus para salvação, e a mudança, o nascer é para uma nova vida agora, sendo que após a morte, é VIDA ETERNA para os que creem de Cristo.

    Entenda meu caro, se quer ser espírita, amém, mas não tente ligar o cristianismo com espiritismo - é o mesmo que falar que óleo e água se misturam.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ANTIGO TESTAMENTO BÍBLICO E A REENCARNAÇÃO, CÉUS

      1) O apóstolo Paulo, visionário dos mistérios espirituais, fixando ensinamentos sobre a grandeza da vida imortal nos planos divinos da criação de Deus e, discernindo a dualidade da natureza do ser humano onde participa primeiramente com o seu corpo terrestre que é composto de carne e sangue como seja, matéria orgânica, e que retrata a imagem do celestial com outro corpo etéreo, invisível e de essência espiritual, afirma: que a carne e o sangue não podem herdar o reino divino (I Coríntios 15, 35 a 50).

      2) As Mulheres receberam pela ressurreição os seus Mortos, uns foram torturados não aceitando o seu livramento, para alcançarem uma superior ressurreição... Paulo (Hebreus 11, 35 a 40)

      Ressurreição (do latin ressurrectione) Ato ou efeito de ressurgir; vida nova; renovação (Novo Dicionário Aurélio).

      Caso o apóstolo Paulo em a carta aos Hebreus capítulo 11 versículos 35 a 40, estivesse se referindo à ressurreição do Ser para a vida extrafísica em corpo espiritual no Reino de Deus, não incluiria a Mulher neste fenômeno orgânico que utiliza corpo animal. Pois na transformação transcendental do plano material terrestre para o reino espiritual celeste, a criatura entra da posse gloriosa pela vontade Divina com um corpo imaterial, incorruptível, imutável e despido dos fluidos carnais, segundo o próprio Apóstolo diferencia em I Coríntios capítulo 15 versículo 35 a 50.

      E na descrição em Hebreus 11. 35, compreendida pelo apóstolo dos gentios esclarecendo que: alguns dos mortos se torturaram, observa-se o reflexo da ansiedade dos espíritos no plano astral quando estão em preparação que antecede o renascimento em nova existência na Terra, que tem como prioridade a ascensão espiritual, sendo necessária a reconciliação com os desafetos da caminhada evolutiva. Sensação indescritível de arrependimento na intimidade do ser, pressentida na visão espírita do profeta Ezequiel à dimensão extrafísica do além, onde as almas lamentam os erros cometidos na vida humana. (Ezequiel 37. 1 - 14)

      Analisemos que Paulo na sua epístola aos Hebreus menciona primeiramente uma ressurreição de Mortos por meio de Mulheres ligadas aos mesmos, e que muitas dessas criaturas, os espíritos familiares ficaram angustiados relutando cumprir essa ação na qual havia um objetivo edificante: o resgate de alguma coisa. Propósito este que eleva a Alma a considerar-se digna para alcançar uma outra ressurreição por sua vez superior àquela ressurreição concebida através das Mulheres. Na verdade, no reviver extrafísico do Ser para os planos imateriais do cosmo celestial não há elo físico de matrimônio e procriação, em virtude do Espírito perder a identidade sexual, e segundo o próprio Cristo: participa da natureza dos Anjos (Mateus 22. 23 a 32).

      E por que a Mulher, então?

      A Mulher é a forma geradora pela qual o Ser (espírito) entra no mundo físico. E os povos Hebreus há muitos séculos antes do Cristo, já acreditavam que os seus mortos, ou seja, os espíritos dos antepassados poderiam retornar à vida material no mesmo tronco familiar, pois Moisés lhes ensinara através da aliança em Êxodo 20.5 e 34.6-7 e Números 14.18: que Deus cobraria irresponsabilidades dos Pais versus Filhos a partir da terceira ou quarta geração daqueles que desrespeitam as causas da vida. Essa iniquidade era relativa pelos abusos da poligamia dos povos primitivos, e Deus estava condenando essa falta e valorizando a formação da família. Na primeira e segunda geração dos Pais seguem-se os Filhos e Netos, geralmente convivem na mesma época. Entretanto, permanecendo a ingratidão e desafeto familiar além-túmulo era crença comum dos hebreus à iniciação das Escrituras sagradas do Antigo testamento, que o Ser (espírito) retornava pelos laços consanguíneos renascendo na vida material num intervalo de até terceira ou quarta geração, nas vestes físicas de um bisneto ou tataraneto para refazer as tarefas morais interrompidas.


      Excluir
  17. JESUS ENSINA O CICLO DO RENASCIMENTO - A REENCARNAÇÃO, CÉUS

    Na verdade, na verdade te afirmo:

    Aquele que não nascer de novo não pode ver o Reino de Deus;
    Aquele que não nascer da Água e do Espírito, não pode entrar no Reino dos Céus;
    Necessário vos é nascer de novo.
    (João 3. 1 a 12)

    Confirma a Biologia: que sem Água não haveria vida material ativa na Terra; dois terços de Água constitui a estrutura terrestre; e desempenha variadas funções nos sistemas vivos; representando no corpo humano 95% na fase infantil e no período adulto 75% dos órgãos, tecidos, células e fluido sangüíneo, até os elementos químicos e suas reações estão na água dissolvidos.

    A Água segundo as Escrituras sagradas:

    Em especial para a aliança hebraica estabelecida no Antigo Testamento através de seu grande legislador Moisés, a substância Água era considerada o princípio primitivo da natureza material, o elemento formador dos reinos animal e vegetal; por isso toda a Ciência antiga, assim também como os Profetas acreditavam e ensinavam que a Água era a fonte geradora absoluta da vida na Terra, lê-se em (Gênesis 1. 2): a Terra era sem forma e vazia, tudo era caos, mas o Espírito de Deus movia a face das Águas... E a criação da vida animal, primeiramente, surgiu nas Águas (Gênesis 1. 20). Ou seja, a luz e inteligência do Divino Espírito Criador trabalhando os elementos primordiais da matéria orgânica nas moléculas das águas, e organizando a estrutura do mundo terrestre para nele germinar o crescimento da vida física. Portanto, segundo as Escrituras sagradas, a Água representa a força natural da matéria viva, assim como o Espírito identifica a natureza inteligente do ser.

    Eis o que afirma a Ciência: a vida no planeta Terra começou no seio dos mares, que é formado de moléculas de Água.

    A matéria Água segundo os ensinamentos de mestres da antiguidade:

    Os egípcios que dominaram os hebreus (ancestrais dos judeus) por 4 séculos antes de Moises (por volta dos anos 1.600 a 1.200 antes do Cristo), acreditavam que a Água era a substancia responsável pela vida, rezam os papiros egípcios: No inicio era Água, massa liquida primordial, em cujas infinitas profundezas flutuavam confusos os germens de todas as coisas.

    Os gregos que também tiveram a sua participação na cultura judaica-cristã, pois foram colonizadores da Judéia por longos séculos antes do Cristo; e os Evangelhos foram, primeiramente, escritos na linguagem grega. E vários filósofos gregos inspiraram os Pais da Igreja primitiva, concluem que a Água é a matéria prima do Cosmo: O Oceano é o progenitor dos deuses... (Homero; Ilíada). E no começo existia somente a Água que se endureceu, formando a Terra... (Damascio). Jura aos deuses pela Água, a essência de todas as coisas, progenitora das gerações (Aristóteles)

    Por isso Jesus foi claríssimo com Nicodemos chamando a sua atenção: Como ele doutor em religião no reinado de Israel desconhecia ensinamentos de outros mestres da antiguidade?

    A palingênese, ciclo dos nascimentos sucessivos do espírito na matéria orgânica – água. É racional que o Divino Mestre estava se referindo a alguma coisa concreta que já era do conhecimento de crenças de vários povos antigos: a reencarnação.

    ResponderExcluir
  18. ÁGUA x VIDA

    O Apostolo João, o mesmo que relatou o encontro secreto de Nicodemos com Jesus, para testificar esta verdade sobre a natureza da substância Água reafirma em (I João 5. 8): Três são os elementos da vida material na Terra: o Espírito, a Água e o Sangue. Isto é, o espírito que é a inteligência etérea, a água que significa o elemento material orgânico e o sangue o potencial energético, fluido vital das células, também fórmula aquosa. E o mesmo Apóstolo (em I João 5. 6), querendo comprovar que Cristo em espírito e verdade sofrera a encarnação real no plano físico terrestre, nos diz: “Este é aquele que veio por água e sangue”... Ou seja, pelo poder do espírito, e também por meio da força da matéria viva: água e sangue.

    Assim de acordo os ensinamentos espiritualistas de diversos povos da antiguidade: hebreus, egípcios, gregos, chineses e hindus... O Evangelho do Cristo confirma o principio universal dos renascimentos sucessivos da criatura na existência material através das forças naturais elementares: Água que representa a matéria prima que contém as substâncias químicas que formam os organismos físicos dos seres vivos; e do Espírito que significa: ânimo, vida - o foco imortal do Criador na criatura. Pois através desta ação e reação a consciência espiritual cresce interiormente em amor e sabedoria alcançando a perfeição celestial da razão divina, passando por vários planos conscienciais de evolução: reino animal, reino hominal, reino espiritual, reino angelical e finalmente, o reino divino do espírito.

    Principio da criação segundo a Bíblia:

    "E a Terra era sem forma e vazia; e havia trevas sobre a face do abismo; e o Espírito de Deus se movia sobre a face das águas (Genesis 1. 2)."

    Segundo a Ciência:

    A Água é uma substância química composta de hidrogênio e oxigênio, sendo essencial para todas as formas conhecidas de vida naTerra

    A água pode ser encontrada na natureza sob a forma sólida, líquida e gasosa. Este último, pode ser encontrado na atmosfera, proveniente da evaporação de mares, rios e lagos.13 17

    Água no Universo [editar | editar código-fonte]

    Grande parte da água do Universo pode ser um subproduto de formação estelar. O nascimento das estrelas é acompanhado por um forte vento de gás e poeira. Quando esse fluxo de material impacta o gás circundante, as ondas de choque que são criadas comprimem e aquecem o gás, produzindo água.18

    A água tem sido detectada em nebulosas na nossa galáxia, a Via Láctea. Provavelmente existe água em abundância em outras Galáxias porque os seus elementos, hidrogênio e oxigênio, estão entre os mais abundantes no Universo. Por vezes, nuvens interestelares condensam em nébulas solares e sistema solares como o nosso.

    No corpo humano a água é o principal constituinte (entre 70% a 75%) e sua quantidade depende de vários fatores estabelecidos durante a vida do indivíduo, entre eles a idade, o sexo, a massa muscular, o aumento ou perda de peso, o tecido adiposo, e até mesmo a gravidez ou lactação.23 A água é um componente essencial para o bom funcionamento geral do organismo, ajudando em algumas funções vitais, tais como o controle de temperatura do corpo.




    ResponderExcluir
  19. O NASCER DE NOVO - A REENCARNAÇÃO

    “Não te maravilhes de ter dito: necessário vos é nascer de novo... (João 3. 7)”

    Jesus está revelando uma lei natural e por isso mesmo divina porque rege a existência dos seres humanos ou, apenas endossando rituais e dogmas religiosos?

    ResponderExcluir
  20. Abrãhão,

    como você devaga meu caro amigo,

    o texto de Hebreus 11:35 faz alusão a fé de mulheres contidas no Livro de Reis, no caso de Elias e Eliseu, que oram para que ressuscitassem os filhos destas mulheres (o texto fala de fé) - vide 2Reis 4:8-37 e 1Reis 17:14-24 - eles foram ressuscitados, não reencarnaram, foi algo imediato.

    A segunda parte do texto é aquilo que lhe falei, sobre pessoas que preferiram morrer ao negar sua fé!

    Jesus não reencarnou, em três dias ele ressuscitou e já estava falando com seus discípulos corporalmente.

    Outra coisa, nascer da água e espírito é o batismo (água) e espírito é o que recebemos quando cremos - vide Marcos 16:15-16. O próprio Jesus fala sobre a condenação para quem não nascer de novo, ou seja, se tornar nova criatura.

    Veja que no próprio texto de João 3, que você citou, (leia o texto inteiro e não partes isoladas), NIcodemos faz uma alusão ao espiritismo, fala de reencarnação ao dizer "posso eu entrar no ventre de minha mãe e tornar a viver"?

    Esta seria a chance de Cristo apoiar o espiritismo, sendo que Cristo o censurou, dizendo que ele não tinha entendido - como muitos espíritas não entendem!

    Foram tantos textos que lhe indiquei, meu caro.

    Faça assim, segue o espiritismo, leia seus livros espíritas, mas não tente misturar a doutrina bíblica com ele - ou é um ou é outro - o fato é que o espiritismo não é cristão, pois não aceita o testemunho de Cristo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O VERDADEIRO CRISTÃO É RECONHECIDO PELO PRÁTICA DO AMOR FRATERNAL... E NÃO POR PREGAR PRECONCEITOS
      .

      UM NOVO MANDAMENTO VOS DOU: que vos ameis uns aos outros. como eu vos amei a vós, que também vós uns aos outros vos ameis.

      NISTO TODOS CONHECERÃO QUE SOIS MEUS SEGUIDORES, SE VOS AMARDES UNS AOS OUTROS (João 13. 34-35)

      Excluir
  21. JESUS INSTRUI NICODEMOS SOBRE A REENCARNAÇÃO

    O mistério da vida revelado

    Abrirei em parábolas a minha boca, e publicarei mistérios ocultos desde a fundação do mundo... (Mateus 13. 35)”

    Perante Jesus – divino educador da alma humana, um determinado doutor em teologia chamado Nicodemos que tinha anseios de saber os mistérios da vida celestial que se desdobra no Universo, ouviu naquela noite solene a confirmação real sobre os nascimentos sucessivos do Ser por meio dos elementos da natureza Água e Espírito a fim de ter a condição necessária de poder entrar nas dimensões puras do Reino Celeste e Divino (João 3. 1 a 12).

    A perplexidade daquele doutor em: “como isso seria possível?!”

    Mereceu com sensatez a advertência construtiva do Cristo: “Tu és mestre em Israel e ignoras estes princípios?”

    Isto porque, na verdade, Nicodemos além de doutor em religião ministrava altas funções sacerdotais na corte eclesiástica de Jerusalém (fato este que lhe dava o título de príncipe entre os judeus) e no seio da crença farisaica era comum acreditar-se também na imortalidade da alma.

    O Divino Mestre Jesus estava apenas chamando a atenção de outro mestre - o israelita, para que ele tomasse conhecimento dos ensinamentos que eram compreendidos por diversos mentores de várias religiões da antiguidade (vedismo, bramanismo, hinduismo, budismo, esoterismo, essênios e cabalas) e que constavam no livro sagrado da maioria das civilizações primitivas: hebreus, egípcios, caldeus, persas, gregos, chineses, hindus... “Vidas passadas, preexistência do ser, transmigração da alma, reencarnação, sintetizando o nascer de novo... Já eram ensinamentos ministrados por vários mestres da espiritualidade antes da era cristâ”. A palingênese (termo grego – palin: de novo e gênesis: nascimento), isto é, o ser (espírito) passar pela série de renascimentos possíveis através da matéria orgânica (água), até alcançar a perfeição espiritual para poder ingressar no plano de consciência celeste mais elevado – o reino divino.

    Nicodemos estava pasmo: como o homem poderia voltar e renascer outra vez?

    Jesus esclarece as suas dúvidas: Não é o homem que renasce e sim o Ser, através da matéria e do espírito. Haja visto o termo Água nos tempos da antiguidade designar o elemento básico da natureza material. Logo, o homem com a sua morte corporal deixa de existir fisicamente, mas a sua consciência espiritual permanece e em forma de energia sobrevive no plano extrafísico. E assim, no espaço e tempo da evolução humana a alma ou espírito é que renasce na existência física em outras gerações para um novo aprendizado. Jesus, então cientifica um novo nascimento como uma lei natural de aperfeiçoamento moral e intelectual necessária a todos que almejam o ingresso definitivo no mais alto estado de consciência cósmica – o reino celeste, quando define: Aquele que não nascer de novo... E, necessário é que renasças novamente para entrardes no Reino Divino.

    ResponderExcluir
  22. O NASCER DE NOVO - A REENCARNAÇÃO

    “Não te maravilhes de ter dito: necessário vos é nascer de novo... (João 3. 7)”

    Jesus está revelando uma lei natural e por isso mesmo divina porque rege a existência dos seres humanos ou, apenas endossando rituais e dogmas religiosos?

    Ainda hoje, como ontem, diversos doutores em Teologia, Sacerdotes de variados credos, Pastores de almas, todos são eloqüentes em querer negar o princípio natural de Justiça Divina – a reencarnação; e pontificam de suas cátedras: “ou alma vai para o céu, ou toma direto o caminho sem retorno e para sempre do inferno”. Muitos louvam a sabedoria divina e se perdem em idéias infantis quando querem elucidar os problemas da dor, do destino e da evolução colocando o Ser sob o efeito inconseqüente do acaso. Outros pregam que Deus é amor, luz e justiça com equidade; mas sem entenderem as causas supremas como Deus age na natureza, interpretam tudo sistematicamente pelos dogmas do mal.

    Por mais inteligente que o homem seja, ele detém conhecimentos restritos e limitados em relação às Leis físicas e espirituais que movimentam a existência na Terra. E o que representa o nosso planeta no todo universal? Semelhantemente a uma gota d’água diante da imensidão dos oceanos; por isso em se tratando de coisas exclusivamente terrestre muitos têm dificuldades em compreender, como é que acreditarão se assunto verte para o infinito da sabedoria celestial? - Como admitir a imortalidade da alma sem o elo das existências sucessivas no plano material como meta de crescimento para Deus! Com a natureza aprendemos lições simples e inteligentes de continuidade plena da vida, o germe da semente morre e logo renasce em bela planta.

    E assim como o vento assopra fluidificando a oxigenação ambiental (nesta comparação em João 3. 8 Jesus revela que para o espírito não há limites de tempo e espaço, pois é um ser imaterial que pode submeter-se aos renascimentos sucessivos na matéria orgânica até mesmo em outros planos astrais da infinita criação divina). Assim o espírito também se renova para a vida eterna e, com a permissão da Providência Divina se move no extrafísico, e em forma de energia é acoplado no ventre sagrado da Mulher para a geração da vida física e evolução da espécie humana que se funde através de células extraídas do sêmen masculino + óvulo feminino e que tem toda a sua estrutura molecular constituída em substâncias líquidas transmutadas em um seio simples de água, ou seja: a matéria-prima no plano terrestre que forma o organismo físico dos Seres vivos. A Ciência comprova, atualmente, o feto sendo formado no útero em uma bolsa d’água.

    A vida não é obra fortuita do acaso, e sim organização de princípios naturais preestabelecidos por Deus – o Criador, desde a fundação do Universo. E as criaturas não surgem espontaneamente no tempo, porque são idealizadas como seres, dotadas de inteligência... Criadas progressivamente através de nascimentos sucessivos na natureza universal da criação material e espiritual de Deus, até a perfeição plena.

    ResponderExcluir
  23. REENCARNAÇÃO
    NASCER DE NOVO É NECESSÁRIO

    Jesus quando ensinou o principio natural dos renascimentos da ALMA no plano material em gerações sucessivas no tempo e espaço dos séculos da evolução terrestre, isto é, a REENCARNAÇÃO como uma lei da natureza para se alcançar o estado superior de purificação consciencial para ingressar no Reino de Deus - o mais elevado nível de consciência celestial, utilizou termos universais como era conhecido no meio da cultura grega: palingênese - palin = novo; gênese = nascimento através da gerações.

    Jesus ensinou a um sacerdote religioso a necessidade de nascer de novo. E foi claro e objetivo usando os conhecimentos da época: NASCER DA ÁGUA E DO ESPÍRITO.

    E quando os Evangelhos foram escritos pelos Apóstolos a linguagem utilizada nessa época foi exatamente o grego, depois é que surgiram as traduções para outros idiomas, e consequentemente os desvios da tradução original.

    Entendamos: ÁGUA nos tempos de Jesus significava simplesmente MATÉRIA... Essa substancia primária e básica que é vital para existência animal no PLANETA TERRA, “o planeta ÁGUA”.

    O embasamento de que a ÁGUA é a matéria prima que originou a vida surgiu com os gregos há 1.500 anos antes do Cristo, por isso é que a Bíblia afirma em Gênesis 1. 1 – No principio da Criação: “O Espírito de Deus se movia sobre a face das ÁGUAS, ou seja, sobre o elemento químico vital para existência material – a ÁGUA”. E, Genesis 1. 20 Sobre a criação da vida animal: “produzam as ÁGUAS abundantemente repteis de alma vivente”.

    A Ciência hoje confirma com provas concretas: “a vida animal na Terra teve seu início no seio dos oceanos, que é formado de moléculas de ÁGUA”.

    ESPÍRITO E ÁGUA é o princípio vital de toda origem natural da existência humana

    Nascer da água e do espírito significava, assim, na época de Jesus renascer biológica e fisicamente da matéria e do espirito.

    Para se entender com discernimento a mensagem das escrituras bíblicas PRECISA-SE aplicar o sentido espiritual da letra na época em que foi escrito, a fim de não sufocar o entendimento espiritual: "A Letra Mata, mas o Espírito Vivifica" II Coríntios 3: 6

    ResponderExcluir
  24. REENCARNAÇÃO ASCENDENTES ESPIRITUAIS

    O que é nascido da carne é carne, e o que é nascido do Espírito é espírito;

    O vento assopra onde quer, e ouves a sua voz, mas não sabes donde vem e nem para onde vai; assim são todos os nascidos do Espírito – Jesus (João 3. 5 a 8) ”.


    O Evangelho do Cristo, em espírito e verdade, nos revela nas citações em referência a preexistência do Ser e a sua dupla natureza como matéria e espírito. Herdamos de nossos Pais terrestres apenas os caracteres fisiológicos hereditários; logo, o que procede da carne é apenas fruto da própria carne. O Homem não cria o Espírito – a vida, apenas gera o corpo carnal. A Alma tem sua origem na essência vital do Pai da Criação universal. Portanto, o Espírito vem de Deus.

    A vida na Natureza cósmica é constituída de planos, isto é, reinos: reino mineral, reino vegetal, reino animal, reino hominal, reino espiritual, reino angelical e, reino divino - o mais alto nível de consciência cósmica. O Reino de Deus é um estado de espírito, ou seja, é de natureza espiritual e não vem com aparências exteriores. E a alma para fazer o seu crescimento para o Reino de Deus inicia a sua caminhada no plano carnal, nascendo primeiramente na vida material humana. A criatura não surge espontaneamente do acaso, o próprio Jesus para vir ao mundo físico teve que nascer na vida carnal, constituir-se filho do homem, originário da humanidade porque caso contrário seria um alienígena na Terra. Quando o ser morre para a vida carnal, nasce no plano espiritual para adentrar o reino celestial. Por isso a dualidade: o que é nascido da carne é carne, e o que é nascido do espírito é espírito, isto é, em espírito, porque Deus é espírito.

    Ciclo da carne e ciclo do espírito, os ascendentes da preexistência...

    Quando no estado primitivo o ser trabalha somente as necessidades da vida instintiva animal, originando-se da carne o predomínio das paixões inferiores, a vida do ser é bastante animalizada e circunscrita em determinado globo. Já no ciclo do Espírito, o Ser atinge níveis de consciência espiritual superior em inteligência e supremacia dos valores morais que o integra à natureza celeste em imagem e semelhança angelical. O ser passa a ser como o vento que assopra em todas as direções do espaço, e os nascimentos sucessivos que objetivam o crescimento consciencial da alma para o reino divino passam a ocorrer nas diferentes ordens de mundos habitados do infinito, que funcionam como educandários da alma.

    Se a Alma fosse criada no momento da formação e desenvolvimento do embrião como pensam muitos Teólogos, e vivesse apenas uma experiência física (80 anos) mais ou menos, e após a sua breve passagem pela vida material caso não consiga elevar-se à Glória dos Céus, fosse condenada à eternidade sem fim a permanecer nas prisões de fogo inextinguível como imaginam muitas seitas religiosas. E que dizer dessas criaturas que passam para a vida de além túmulo em tenra idade? Jovens ainda, muitas vezes mal saídas do berço. Com a idéia da Alma criada no momento da concepção, aparentemente, essas Crianças e ou Jovens, nada fizeram para receberem um castigo eterno; ou, serem transmudadas, de imediato, definitivamente aos planos sublimados da vida celestial.
    E por qual mistério a população do Planeta a cada dia aumenta mais? E o Criador, na sua Onisciência, já estaria conhecendo que a maioria absoluta em números muitíssimos elevados estariam fadados a uma vida material de aflições, e após a curta vivência no plano físico seriam encarceradas eternamente nas chamas do inferno idealizado pelos dogmas das crendices religiosas; ou, então pereceriam para sempre num vazio total do materialismo.
    Por que, na Terra, uns são mais bem dotados que outros? Uns nascem fortes, outros saudáveis, inteligentes e muitos em ambientes confortáveis! Outros, já de natureza nascem frágeis, amargurados, e inúmeros em desconforto e no meio dos vícios – por quê?
    São perguntas que calam fundo a nossa consciência para que possamos discernir melhor a Sabedoria e Amor do Criador.

    ResponderExcluir
  25. REENCARNAÇÃO, O RENASCER DE NOVO

    ASPECTOS DA JUSTIÇA COM PERFEIÇÃO

    Como vamos entender sem o elo da reencarnação este comentário de Jesus: Porque àquele que tem, se dará, e terá em abundancia; mas aquele que não tem, até aquilo que pensa que tem lhe será tirado. Por isso lhes falo por parábolas; porque eles, vendo, não vêem; e, ouvindo, não ouvem e nem compreendem. E neles se cumpre a profecia de Isaias, que diz: ouvindo, ouvireis, mas não compreendereis, e, vendo, vereis, mas não percebereis. Porque o coração deste povo está endurecido, e ouviram de mau grado com seus ouvidos, e fecharam seus olhos, para que não vejam com os olhos, e ouçam com os ouvidos, e compreendam com o coração, e se convertam, e eu os cure (Mateus 13. 12 a 15)

    À luz da reencarnação vamos apreender que os homens são almas encarnadas, ou seja, envergando temporariamente um corpo de energias condensadas no plano físico terrestre. E o que está endurecido bloqueando os sentidos de elevação da razão e do sentimento, é a sua própria natureza inferior, que não foi lapidada no curso das aprendizagens benfeitoras. Por isso é que Deus, o Criador, deixa crescer o joio e o trigo juntos na obra de evolução de nossas almas para o plano divino. Às vezes pessoas sem nenhum sentimento de crença religiosa demonstram exemplos dignos de conduta, que refletem inconscientemente a atitude cristã.

    Sem a conscientização da reencarnação certas passagens bíblicas ficariam sem as razões racionais da lógica e justiça com equidade. Como iríamos perceber uma pessoa do porte de João Batista sendo testemunhado pelo imparcialíssimo Jesus que esclareceu a respeito do mesmo: dos nascidos de mulher, não apareceu até aquele momento ninguém maior que João (Mateus 11. 9 a 11). E se alguém que tivesse ouvidos para entender, e quisesse reconhecer toda a grandeza daquela alma elevada, ele João Batista, era o mesmo Elias que havia retornado ao plano carnal terrestre para cumprir outra missão, como estava previsto pelo profeta (Malaquias 3. 1 a 2 E cap. 4. 5). E confirmado na voz do anjo Gabriel, de conformidade com a visão espiritual ao futuro genitor de João, vide (Lucas 1. 5 a 24). Eis o que descreve no Evangelho: Porque será grande diante do Senhor... E será cheio do Espírito Santo já desde o ventre de sua mãe.

    Por que TODOS não nascem JÁ do berço perfeitos na moral, na virtude, no saber, na saúde?

    Por que uns nascem sábios, e outros bloqueados na inteligência? Por que uns tem ALMAS cheias de virtudes desde o berço? E OUTROS com instintos perversos, psicopatas, mentalidade bruta?

    Somente a reencarnação da Alma explica as desigualdades intelectuais e morais dos seres inteligentes criados, à luz do amor de Deus e sua Justiça perfeita e sábia.

    A Alma não é criada no momento do desenvolvimento do embrião, caso fosse, seria um caos a Justiça Divina fazendo uns cheios de virtudes e outros cheios de maleficências.

    ResponderExcluir
  26. A REENCARNAÇÃO E OS ASPECTOS RACIONAIS DA JUSTIÇA DIVINA COM PERFEIÇÃO

    Se João não fosse a reencarnação de Elias, como iríamos entender a Justiça Divina que preside com perfeição os destinos dos seres racionais? Como iríamos apreender, com lógica, João já ser predestinado às grandes missões iluminadoras desde o ventre materno? (Lucas 1. 15). Enquanto outras pessoas, como é o caso do paralitico de Betesda (João 5. 1 a 14), ser fadado a uma existência longa de 38 anos de sofrimento, impossibilitado dos movimentos básicos do existir?

    Nada é por acaso. Os seres é que conquistam através de suas próprias obras os seus destinos felizes, ou infelizes, no curso das existências físicas, conforme orientação em Gálatas 6. 7 a 9: “porque tudo o que o homem semear, isso também ceifará, porque o que semeia na sua carne, da carne ceifará a degeneração; mas o que semeia no Espírito, do Espírito ceifará a vida eterna”. E segundo Jesus: os que tiverem feito o bem para a ressurreição da vida, e os que praticaram o mal para a ressurreição da condenação (João 5. 29), isto é, a conseqüência das expiações regeneradoras.



    “Mas Deus escolheu as coisas loucas deste mundo para confundir as sábias; e Deus escolheu as coisas fracas deste mundo para confundir as fortes (I Coríntios 1. 27)”

    Aparentemente, a reencarnação causa espanto em muitos teólogos, padres, pastores, e evangélicos extremistas. E nem mesmo Jesus com sua sabedoria celestial conseguiu fazer-se entendido completamente diante de um doutor membro do grande Templo de Jerusalém, que estupefato perguntou: como a criatura poderia voltar e nascer de novo através de um ventre de mulher (vide João 3. 4). O que para os homens parece impossível, por ignorarem o Poder imensurável da Criação infinita de Deus, nada mais é que uma maravilhosa lei da Natureza que vige em todos os planos da criação cósmica, e que dá seguimento natural à ordem e Justiça de Deus, presidindo equitativamente os ascendentes morais e intelectuais dos seres no transcorrer da evolução. Sendo assim nada é por casualidade – A CADA UM SEGUNDO AS SUAS PRÓPRIAS OBRAS e necessidades evolutivas.

    ResponderExcluir
  27. REENCARNAÇÃO, ELO ESPIRITUAL EDUCADOR DE AÇÃO E REAÇÃO

    A CADA UM SEGUNDO AS SUAS PRÓPRIAS OBRAS, CONSCIENTIZOU JESUS

    O acaso não acontece na Justiça da Vida que é orientada pela Divina Sabedoria, tudo tem uma razão justa de causa e efeito. E quando Cristo operava a regeneração do corpo e da Alma, sentenciava o juízo celeste: “teus pecados te são perdoados”, então a Misericórdia Divina liberava aquela criatura que estava presa aos grilhões das expiações.

    O Paralítico de Betesda (João 5. 1 a 14) é um exemplo real deste parecer, estava resgatando o seu carma - o princípio natural de ação e reação. E como a sua dor tinha um efeito demorado, pois há 38 anos sofria aquela inibição, e nada fizera naquela atual existência, fatalmente nascera assim. A causa, naturalmente, remontava um passado de vida que jazia escondido na preexistência daquela Alma sofredora. Depois de purificada por Jesus recebeu esta advertência: Não peques mais, para não te suceder coisas piores, isto é, expiação mais grave (João 5. 14).

    A doutrina do Cristo é todo um código de comportamento ético-moral: “Não faças a alguém o que não queres para ti...; Se, porém, não perdoardes aos homens as suas ofensas tampouco o vosso Pai celestial vos perdoará os vossos pecados...” Elucida com discernimento que a paz de qualquer criatura tem extrema relação com a boa convivência social, e sempre finaliza onde inicia a harmonia do seu próximo. (* Mateus 6.15 / 7.12 / 18. 34-35)

    E no decurso das relações dos povos existem ações maldosas que perturbam tanto a nossa paz íntima quanto o bem estar das pessoas. A essas faltas graves que violam os direitos e deveres dos seres racionais e lesam a consciência espiritual foi que Cristo considerou-as “pecado contra o espírito (Mateus 12. 31 a 32)”, que não teria perdão nem na existência presente e nem tampouco naquela que haveria de ocorrer em outro século, isto é, noutra geração - a analogia da reencarnação; porque causa no próprio ser infrator, espírito criado à imagem do seu Criador, desequilíbrios de efeitos irreversíveis nos centros de força da alma.

    E para que o ser espiritual não permaneça em uma situação eterna de sofrimentos indefiníveis na vida além, a Misericórdia Divina lhe concede no desdobrar dos séculos um novo nascimento no mundo carnal a fim de que a criatura possa trabalhar a sua própria reabilitação, reedificando a consciência ferida nos instrumentos desprezados outrora. (vide ensinamento do apóstolo Paulo em Gálatas 6. 7 a 9: porque tudo o que a criatura semear, isso também colherá... Quem semeia “o mal” na existência carnal, na própria carne ceifará a degeneração... E não desanimemos de realizar sempre o bem, porque a seu tempo ceifaremos “coisas boas”, se não houvermos desfalecido...)

    Sistemas, órgãos e tecidos do corpo carnal não é veículo de punição do Ser, e sim organismo vivo estruturado por milhares e milhares de células que são as “micro-vidas” utilizadas sabiamente pela Natureza no trabalho salutar de cura, harmonia e elevação da consciência espiritual para o plano superior celeste.

    ResponderExcluir
  28. DOUTRINA ESPÍRITA - MAIS RESPEITO AO FALAR SOBRE O ESPIRITISMO. O INTUITO DO BLOG, PELO MEU ENTENDER, É ELUCIDAR ASSUNTOS REFERENTES À BIBLIA.
    O ESPIRITISMO NÃO DEBATE A BÍBLIA, NEM TAMPOUCO A ACEITA COMO LIVRO VERDADEIRO, VISTO NO DECORRER DA HISTÓRIA TEREM SIDO INSERIDAS E ALTERADAS TANTAS CITAÇÕES. O ESPIRITISMO PREGA O AMOR, A CARIDADE, MOSTRA A REENCARNAÇÃO COMO ÚNICA VERDADE RACIONAL PARA EXPLICAÇÕES DA DOR E DA VIDA DAS CRIATURAS (porque uns nascem ricos e abastados e outros na favela? por que uma criança nasce cega e outra cheia de saúde? por que sofremos se fazemos o bem? etc) APENAS COM A VERDADE ESPIRITUAL DE VIDAS SUCESSIVAS PARA O APRENDIZADO E EVOLUÇÃO É QUE O HOMEM TERÁ SUA REAL FELICIDADE. NÃO É CORRETO OFENDER AQUILO QUE SE IGNORA. REAVALIEM SUAS POSTURAS E RESPEITEM E EXERCITEM A TOLERÂNCIA AO DIFERENTE.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem, com certeza este é o intuito do blog, esclarecer.

      Sempre tenho dito que o espiritismo não caminha com o que a Bíblia quer passar a respeito de salvação, resssurreição, justificação e outros mais.

      Não é porque a bíblia fala de amor que significa que apoia a doutrina espírita, até mesmo o amor na visão bíblia é diferente (fiz uma artigo sobre isto).

      Tento explicar isto para os espíritas, se quer ser espírita, tudo bem, mas não diga que o espiritismo é cristão que não é.

      Meu amigo Abrahão até agora não entendeu, tanto que coloca texto creio eu, copiados de algum lugar, mas sem nexo com o que quer dizer.

      Com relação a bíblia, ela não foi alterada ou adulterada. Fiz um um estudo aqui sobre isto.

      Essas questões que levantas-te (sobre o bem e mal na vida das pessoas) respondi aqui no blog, até mesmo na categoria espiritismo (pesquise).

      Não ofendo ninguém, apenas reproduzo o que a bíblia diz, mas em momento algum passei do debate para ofensas pessoais.

      Excluir
  29. Pastor Samuel,

    Você é um grande Pastor, iluminado mesmo! É um Mestre na sabedoria divina! O teu conhecimento e discernimento bíblico parece até que é SUPERIOR ao conhecimento de Jesus. Segundo os teus artigos Jesus se olvidou ao dar testemunho da volta de Elias em João Batista, esclarecendo e reafirmando passagens das escrituras sagradas que previam o retorno do espírito do Profeta como: " o mensageiro que iria preparar, diante do Senhor, o caminho de sua mensagem - Mateus 11. 10 "

    Segundo os teus comentários iluminados: Os Apóstolos PARECE também que se enganaram ao entender que Jesus estava se referindo de Elias, quando lhes falara de João Batista (Mateus 17. 13)

    AGORA, VOCÊ PASTOR SAMUEL, DEPOIS XX SÉCULOS DE CRISTIANISMO, ESCLARECE COM DISCERNIMENTO TODO ESSE ENGANO BÍBLICO

    VC É UM PASTOR ILUMINADO! UM MESTRE NA TEOLOGIA!

    DEUS TE ABENÇOE E TE DÊ MAIS SABEDORIA!

    ResponderExcluir
  30. Mesmo sendo sarcásticas sua palavras, agradeço, e faço apenas correção em:

    Meu conhecimento não é superior ao de Cristo, apenas reproduzi ele.

    Segundo, o artigo explica bem a questão do João e Elias, bem como é irrespondível para os espíritas o porque na transfiguração não ser João, mas Elias.

    Eu que peço que Deus lhe dê mais sabedoria e discernimento, o pior cego é o que não quer ver.

    Minha intenção é lhe converter ao verdadeiro ensino bíblico, mas se não, seja um bom espírita com as doutrinas espíritas, mas não fale que esta doutrina é bíblica.

    ResponderExcluir
  31. Alertou o Apóstolo:
    "NÃO creiais em todo espírito, MAS PROVAI SE OS ESPÍRITOS SÃO DE DEUS ( I João 4. 1)"

    Assimilo da palavra da Bíblia a mensagem que é útil para o meu crescimento espiritual em Cristo...

    Os ensinamentos que inspiram tradição, cultura de formas religiosas dos povos hebraicos dentro da própria escritura bíblica UTILIZO-OS apenas como cultura e religiosidade de povos.

    Quando um Teólogo, Pastor, ou Padre afirmam que os fenômenos espíritas não tá nas páginas da Bíblia... Esses religiosos LERAM E NÃO ENTENDERAM as Escrituras bíblicas. O importante não é apenas LER, e sim ESTUDAR para compreender. "Olhos para ver, e ouvidos para entender"

    Meu amigo,

    A não ser que interesses econômicos, os profissionais da fé religiosa SUFOQUEM as revelações bíblicas.

    " |A fé só é realmente divina quando ela pode encarar frente a frente a razão em todas as épocas da humanidade e elucidar as dúvidas com lucidez "

    AINDA TENHO MUITO QUE VOS DIZER, mas vós não o podeis suportar agora. Mas quando vier aquele Espírito de verdade (O CONSOLADOR), Ele vos guiará em toda verdade (João 16. 12 - 13)

    NOVOS CONHECIMENTOS ESTão sendo revelados pelo Consolador - o Espírito de verdade

    ResponderExcluir
  32. Há fenômenos e práticas espíritas na bíblia, mas todos são condenados por ela.

    Me desculpe, mas é claro na bíblia, a doutrina espírita quebra a harmonia que ela ensina.

    ResponderExcluir
  33. Pastor Samuel,


    Estás cultivando erros e preconceitos conforme o farisaísmo:

    A BÍBLIA NÃO CONDENA em suas narrações os fenômenos espíritas; e SIM os religiosos hipócritas de todos os tempos, porque fazem do ato de suas crenças estímulos profissionais para sustentar seus interesses econômicos.


    A DOUTRINA espírita nos ensina a buscar a DEUS ESPÍRITO em espírito e verdade, conforme Jesus ensinou à Mulher samaritana, vide João 4. 23-24.
    A Doutrina Espírita realça que os servidores do Cristo não necessitam ser pagos: "DE GRAÇA RECEBESTES, DE GRAÇA DAI".
    Estudamos em seus belos conceitos que Deus é o Pai dos espíritos, vide Hebreus 12. 9 - E que que esses espíritos são nossos irmãos domiciliados em outras dimensões da vida celestial.


    São vários os “fenômenos e conceitos espíritas na Bíblia”. Vamos ver alguns no Evangelho: O ANJO GABRIEL, que aprendemos que é um mensageiro espiritual de nível superior e que presta assistência diante de Deus (Lucas 1. 19), se comunica pelo fenômeno da clarividência e faz as anunciações dos nascimentos de Jesus, e de João Batista (Lucas 1. 5-38). E SANCIONA AS EVIDENCIAS QUE JOÃO ERA A REENCARNAÇÃO DE ELIAS, conforme anunciam as profecias bíblicas.


    Lemos no Evangelho, em várias passagens, que o anjo (espírito) Gabriel presta assistência a José alertando-o em sonhos lúcidos, (fenômeno espírita de emancipação da alma), para que José saia urgentemente daquela região porque Herodes autorizara um decreto de mortandade a todos os recém-nascidos.

    Fenômenos espíritas na vida pública de Jesus:
    Cristo conversa amigavelmente com a legião de demônios (espírito voltados à prática do mal), e que estava incorporada no gadareno perturbado, e até atende aos DESEJOS dessa Legião, isto é, que Jesus não lhes mandassem de volta para o Abismo - região no plano espiritual onde as almas rebeladas são presas para expiar os erros e maldades "tipo as penitenciarias terrestres". Conforme relato JESUS não mandou a Legião para o Abismo, e sim para os porcos concordando com o desejo dessa Legião. Ocorreu um fenômeno de materialização impressionável que ocasionou o susto nos animais (Lucas 8. 26-39)


    JESUS SE TRANSFIGURA NO MONTE TABOR e aparecem visivelmente MOISÉS E ELIAS, almas desencarnadas que habitavam no plano extrafísico do astral. Ocorre um fenômeno de materialização fluídica pela condensação molecular do corpo de energia desses espíritos.


    JESUS pediu silêncio dos Apóstolos (Mateus 17. 9), Porque se os apóstolos falassem abertamente que Jesus havia se comunicado com esses espíritos no Tabor, fatalmente seriam APEDREJADOS CONFORME MANDAVA O Deuteronômio e o Levítico bíblicos

    Após a ressurreição do Cristo, ocorre em Jerusalém APARIÇÕES espirituais em massa, de gênero coletivo (manifestações espíritas grupal). VÁRIOS espíritos desencarnados se manifestam publicamente aos seus contemporâneos e comprovam assim a sobrevivência pós-túmulo, vide Mateus 27. 52-53

    JESUS PREGA O EVANGELHO TAMBÉM AOS MORTOS (espíritos desencarnados), vide notificação do apostolo Pedro, em primeiro Pedro 4. 6


    E ANUNCIA TAMBÉM O SEU EVANGELHO AOS ESPÍRITOS PRESOS no astral, os quais em outras vidas foram desobedientes às leis divinas (I Pedro 3. 18 - 19)


    Meu amigo Pastor,

    Você prega erradamente que a Doutrina Espírita quebra a harmonia bíblica. PELO CONTRARIO, a revelação espiritual da Bíblia é GENUINAMENTE espírita.


    LEMBRE-SE: Deus é Espírito... e é o Pai dos Espíritos... E DEUS NÃO é deus de MORTOS (Lucas 20. 38)


    - NÃO acrediteis em todo espírito, MAS PROVAI SE OS ESPÍRITOS SÃO DE DEUS (I João 4. 1)

    A DOUTRINA ESPÍRITA PREGA O AMOR DIVINO, e ao próximo; a fé, a esperança, a caridade moral, evidencia o aperfeiçoamento do ser inteligente. E nos revela as leis que regem a natureza espiritual.

    ResponderExcluir
  34. Caro Samuel.
    Você citou duas passagens bíblicas, sendo uma do VT (Ml 4,5-6 ou 3, 23-24 da versão católica) em que o Senhor diz que vai mandar Elias para anunciar o Messias e a outro do NT (Mt 17,12-13) em que Jesus diz que Elias já veio (12) e que os seus discípulos entenderam que Jesus lhes falava de João Batista (13).
    Com base nessas duas passagens podemos deduzir que João é Elias, uma vez que (com base em Ml 3,23) Deus diz que vai mandar Elias, e em Mt 17,12 Jesus diz que Elias já veio e no verso 13 está dito que os discípulos de Jesus entenderam que Jesus lhes falava de João Batista. Se fossem só esses dois versos de Mt 17 (12 e 13) até que a dúvida que você apresenta poderia ser aceita, por não constar nesses dois versos algo que pudesse justificar o porquê dos discípulos terem entendido que Jesus lhes falava de João Batista. Entretanto, lendo-se os dois versos anteriores “10. Em seguida, os discípulos o interrogaram: Por que dizem os escribas que Elias deve voltar primeiro? 11. Jesus respondeu-lhes: Elias, de fato, deve voltar e restabelecer todas as coisas.”, verificar-se-á que os discípulos tinham ideia da possibilidade de um enviado do Senhor vir em outro corpo; tanto que fizeram a pergunta sobre a vinda de Elias e, após a informação de Jesus, terem entendido que Jesus falava de João Batista.
    Além do mais, devemos levar em conta que, se Deus prometeu mandar Elias (Ml 3,23), Jesus diz que João é Elias e os discípulos (Pedro, Tiago e João) entendem que João Batista é Elias, se não aceitarmos que João é Elias será a mesma coisa que dizermos que Deus nos mentiu (disse que mandaria e não mandou) e Jesus nos enganou, dizendo que João é Elias quando não seria; entretanto, como esse entendimento contraria a teologia “terrorista” da vida única, com base na qual os dirigentes religiosos enchem as burras de suas instituições, e deles próprios, através do dízimo pago pelos seus fiéis, esses dirigentes irão “defender o seu peixe” até o esgotamento de suas forças.
    Para não dizer que esse entendimento estaria restrito ao âmbito de Jesus e dos discípulos, mostro que o povo também tinha essa ideia de que um enviado do Senhor poderia retornar em outro corpo ao plano físico após a sua morte; veja o que consta de Mt 16,13-14: “13. Chegando ao território de Cesareia de Filipe, Jesus perguntou a seus discípulos: No dizer do povo, quem é o Filho do Homem? 14. Responderam: Uns dizem que é João Batista; outros, Elias; outros, Jeremias ou um dos profetas.” Veja que até com relação a Jesus, mesmo após a declaração de João Batista de que Jesus era o Cordeiro de Deus, o povo ainda tinha dúvida sobre ser Ele o Messias, mas, apenas mais um profeta. Quer mais claro do que isso?!

    ResponderExcluir